Cidadeverde.com
Esporte

Palmeiras goleia Universitario e fica com segunda melhor campanha na Libertadores

Imprimir

O Palmeiras não teve dificuldade de alcançar seu objetivo na noite desta quarta-feira. Mesmo sem precisar jogar um grande futebol, goleou o fraco Universitario, do Peru, por 6 a 0, e terminou a fase de grupos da Libertadores com a segunda melhor campanha. 

Foto - Cesar Greco - Palmeiras

Somou 15 pontos no Grupo A, um a menos que o Atlético-MG, o melhor de todos. Primeiro colocado na chave, aguarda agora o sorteio de terça-feira para conhecer seu adversário nas oitavas de final da competição.

O Universitario veio bem fechado, como era previsível, posicionando todos os seus jogadores atrás da linha da bola quando ela estava com o Palmeiras. Bem marcados, os jogadores do Alviverde erravam passes e apelavam para os lançamentos longos para tentar chegar ao gol.

Mas não estava dando certo e o Palmeiras tentou outra alternativa: atrair os peruanos para, na retomada da bola, ter espaço para buscar as jogadas em velocidade.

Ainda assim estava difícil e as tentativas de Scarpa, para fora, e Zé Rafael, nas mãos do goleiro foram de fora da área. Mas aos 17 minutos, numa bola esticada para o ataque do Universitario, Weverton saiu para desviar com a cabeça e acabou atingido no rosto por Quintero. O goleiro sangrou muito e o peruano levou cartão vermelho.

O Palmeiras, então, passou a jogar no campo do adversário, mas centralizava muito as jogadas, pois os alas estavam subindo pouco. E o técnico Abel Ferreira manteve os três zagueiros.

Willian teve duas boas chances, mas a primeira oportunidade mais aguda foi com Scarpa, aos 37 minutos. Mas o chute foi na trave.

O gol finalmente saiu aos 42 minutos, em jogada dos alas, que avançaram. Menino cruzou da direita e Viña apareceu na área como se fosse um centroavante para bater de primeira e marcar.

Logo depois, Gómez bateu cruzado e errou por pouco. Mas o Palmeiras ampliou ainda na primeira etapa. Zé Rafael aproveitou um vacilo de Alonso e chutou para fazer 2 a 0, aos 46 minutos.

A porteira estava aberta e o Palmeiras só não fez o terceiro aos cinco minutos da etapa final porque o auxiliar marcou erradamente impedimento de Wesley - o atacante estava adiantado, mas recebeu a bola de um zagueiro do Universitario.

Quatro minutos depois, porém, não teve jeito. Em nova trapalhada da defesa peruana, com falhas do goleiro e do zagueiro Rugel, a bola ficou com Gustavo Gómez, que bateu de fora da área e fez 3 a 0.

De trapalhada em trapalhada, o Palmeiras fez o quarto. Scarpa recebeu de Menino, foi ao fundo e cruzou rasteiro, a bola passou pelo goleiro, mas voltou após toque de um zagueiro, e sobrou para Willian mandar para as redes, as 14 minutos.

O Palmeiras continuou empilhando chances - Scarpa, Wesley... - e com o passar do tempo Abel Ferreira fez alterações no time, colocando os titulares Luan, Rony e Luiz Adriano, mais para dar um pouco de atividade para eles.

E para Rony fazer mais dois gols na Libertadores. Aos 31 minutos, Viña cruzou da esquerda, Menino ajeitou de cabeça e Rony mergulhou para fazer 5 a 0.

Aí o Universitario falhou de novo na defesa e Rony estava por perto: 6 a 0. A noite estava ganha, o objetivo alcançado. E o placar só não foi maior porque os palmeirenses não forçaram.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir