Cidadeverde.com
Política

Grupo de Edson Melo prepara relatório: "prefeitura não tem feito nada"

Imprimir

Roberta Aline

O vereador Edson Melo (PSDB) anunciou que o grupo de trabalho formado por ex-gestores da Strans apresentará, na próxima semana, um relatório com sugestões para resolver o problema do transporte público de Teresina.  Edson fez duras críticas à prefeitura e diz que até agora nada tem sido feito.

"Nosso relatório é um diagnóstico sobre o problema. Faremos um histórico porque esse problema vem ao longo dos anos. Teve dois problemas que foi a implantação do programa Inthegra, que não foi concluído, e a pandemia que afastou o passageiro. Isso gerou uma série de custos operacionais com relação a prefeitura entrar com subsídios. Já são seis meses. Isso é muito grave. A população não aguenta mais não ter ônibus", afirmou.

O vereador também critica a CPI. Segundo ele, o foco tem sido equivocado. Para ele, a CPI não deveria buscar culpados, mas uma solução para o problema. 

"A CPI vai discutir e o foco tem sido prováveis irregularidades. O foco deveria ser apresentar uma solução. Não é comissão parlamentar de inquérito, mas apresentar uma solução imediata. A prefeitura tem que trabalhar, sentar em uma mesa de negociação. Ele vai esperar três ou quatro meses para a CPI se pronunciar? Quem decide é quem tem que apresentar solução é a prefeitura. Entendo como uma cortina de fumaça para adiar o problema", destaca.

Edson afirma que a prefeitura tem que buscar negociar com os empresários. 

"Primeiro tudo passa pela negociação da prefeitura com as empresas e os trabalhadores que se faça uma auditoria com o Ministério Público.  Ninguém se reúne para resolver. O povo sofre. É um absurdo", destaca.

O líder do prefeito, Renato Berger, reagiu às declarações de Edson Melo. Segundo ele, há um grupo de trabalho na Prefeitura trabalhando e se reunindo com parlamentares para discutir o assunto.

"O prefeito tem menos de seis meses de gestão.  Ele encontrou um sistema falido. Algumas insinuações foram feitas. O Dr. Pessoa queria resolver em 100 dias. Se não for possível, rompe o contrato. Ele não seria irresponsável para resolver do jeito que quiser. O Edson diz que não tem grupo, mas tem grupo sim. Tem um grupo de trabalho atuando na prefeitura.  Agora o prefeito quer ouvir a sugestão que será apresentada pela CPI", afirmou.

 

Flash de Lídia Brito
[email protected]

Imprimir