Cidadeverde.com
Política

Manifestantes protestam contra Bolsonaro e cobram mais vacinas

Imprimir
  • manifestação99.jpg Yala Sena
  • manifestação10.jpg Yala Sena
  • manifestação8.jpg Yala Sena
  • manifestação7.jpg Yala Sena
  • manifestação6.jpg Yala Sena
  • manifestação5.jpg Yala Sena
  • manifestação4.jpg Yala Sena
  • manifestação3.jpg Yala Sena
  • manifestação2.jpg Yala Sena
  • manifestação1.jpg Yala Sena

Manifestantes saíram em caminhada na manhã deste sábado (03) no centro de Teresina defendendo mais vacinas e a o impeachment do presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem partido). O ato teve início na Praça Rio Brando, de onde os manifestantes saíram por ruas e avenidas até a concentração final na Praça da Liberdade, ao lado da Igreja São Benedito. 

O ato é composto por manifestantes com faixas e cartazes com palavras de ordem contra o presidente Bolsonaro, a favor das vacinas e do auxílio emergencial, e em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Neide Carvalho, da Frente Brasil Popular, informou que hoje estão sendo realizados cerca de 316 atos em todo o Brasil, de forma simultânea, defendendo pautas como o impeachment do presidente Bolsonaro, mais vacinas e o auxílio emergencial. 

A promotora aponsentada Leida Diniz também participa da manifestação e disse que  “a democracia está vilipendiada”

Já o dirigente do PC do B, José Carvalho, avaliou que o governo Bolsonaro vai chegando ao limite e é preciso que a população vá às ruas. “O governo Bolsonaro não tem nenhum respeito pela instituição presidência da República. Ele desmonta as instituições públicas. A Europa e os Estados Unidos estão trabalhando para estruturar o estado e enfrentar a pandemia, e Bolsonaro faz o contrário, cria dificuldades para compra de vacinas, não adota medidas sanitárias. Ele está acuado. A CPI está chegando às portas do Planalto”, destacou. 

Para Lourdes Melo, Bolsonaro está encurralado com as denúncias de corrupção.

“Não acredito que o impeachment vai resolver, temos que derrubá-lo pela rua. O Lula é o candidato e as pesquisas mostram que ele ganha no primeiro turno com eleições gerais”. 

O ato deste sábado é considerado pelos manifestantes como uma espécie de preparação para o dia 24 de julho, quando novas manifestações devem ocorrer em todo o Brasil. 

Além da Frente Brasil Popular, também participam do ato entidades como a Frente Povo Sem Medo, Fórum de Entidades, Central Única dos Trabalhadores(CUT), Andes, Adufpi (Associação dos Docentes da Universidade Federal do Piauí),além de entidades estudantis, como Ubes e Umes. 

 

 


Flash Yala Sena 
[email protected] 

Imprimir