Cidadeverde.com
Esporte

Com um a menos, Fla goleia Grêmio fora e fica perto da semi da Copa do Brasil

Imprimir

Com um a menos desde o fim do primeiro tempo, o Flamengo fez uma exibição de gala no segundo tempo, mostrou superação e aplicou uma surpreendente goleada de 4 a 0 no Grêmio, na arena do rival gaúcho, na noite desta quarta-feira.

Foto - Alexandre Vidal - Flamengo

O placar deixou o time carioca muito perto da vaga na semifinal da Copa do Brasil. Os quatro gols foram marcados depois da expulsão do lateral Isla nos minutos finais do primeiro tempo, quando tudo indicava que era o Grêmio quem iria reinar na partida. 

Mas Bruno Viana, Michael, Rodinei e Vitinho, de pênalti, alteraram este roteiro com sobras e muito empenho em campo e surpreenderam os anfitriões. Os últimos três gols foram anotados num intervalo de apenas 12 minutos, diante da apatia e de uma série de erros do time gremista.

O Flamengo construiu vantagem incrível para buscar a vaga na semifinal. Avança à semifinal mesmo se perder por três gols de diferença no duelo da volta, marcado para 15 de setembro, no Maracanã. 

Já o Grêmio precisa vencer por diferença de quatro gols para igualar o placar agregado. Os gols marcados fora de casa pelo Fla não contam para efeito de desempate, por critério de gol qualificado, nesta fase da competição nacional.

A partida disputada em Porto Alegre, sob chuva, foi de reencontros nesta noite. Renato Gaúcho reviu o Grêmio pela primeira vez, agora no comando do Fla. E o lateral Rafinha enfrentou a equipe carioca, pela qual fez sucesso logo em seu retorno ao futebol brasileiro.

O primeiro tempo foi definido pela disciplina tática do Grêmio e pelas falhas do Flamengo na defesa. Luiz Felipe Scolari montou um meio-campo com três volantes e Douglas Costa como armador.

E conseguiu anular Everton Ribeiro e o discretíssimo Arrascaeta, neutralizando quase completamente o ataque rubro-negro.

O Flamengo praticamente não conseguiu entrar na área gremista nos primeiros 30 minutos. Somente nos 15 minutos finais da primeira etapa elevou a marcação e tentou pressionar a saída de bola gremista, sem maior sucesso.

As poucas chances criadas, com Bruno Henrique e Everton Ribeiro, foram de finalizações de fora da área ou sob forte marcação.

Mesmo mais cauteloso, o Grêmio levava maior perigo em suas poucas investidas, como fizeram Alisson, aos 13, e Ferreira, aos 47 minutos. O primeiro tempo, contudo, foi marcado por baixas de peso de ambos os lados, ambas por lesão. 

A primeira foi a de Douglas Costa aos 28, o que inviabilizou parte da ação ofensiva dos anfitriões. Na sequência, Bruno Henrique deixou o gramado.

O jogo foi se tornando cada vez mais pegado a partir dos 20, inclusive com uma confusão quase generalizada, sem maiores consequências, aos 26. O Grêmio era mais eficiente na marcação, mesmo exagerando em alguns lances, tornando Gabriel inoperante no primeiro tempo. 

O Fla estava longe de repetir a performance em sua defesa. Oscilava demais com Isla, Bruno Viana e Gustavo Henrique.

Isla era o mais irregular. Em dois lances que revelavam a falta de organização defensiva do time carioca, o lateral-direito levou dois cartões amarelos e deixou o gramado mais cedo aos 44, criando vantagem numérica para o time gaúcho.

Para o segundo tempo, Renato Gaúcho mudou o meio-campo rubro-negro, trocando Diego e Arrascaeta pelo lateral Matheuzinho, para ocupar o vácuo deixado por Isla, e o volante Thiago Maia. E, quando o desenho do jogo parecia favorecer os anfitriões, o Fla abriu o placar aos 7.

Com dificuldades durante a maior parte do primeiro tempo, os visitantes anotaram o gol em lance de bola parada. Após cobrança de escanteio, o zagueiro Bruno Viana aproveitou vacilo da defesa gremista, pegou a sobra e anotou seu primeiro gol no futebol brasileiro.

O Grêmio tentou responder rapidamente, em lance de Alisson, que carimbou o travessão, aos 9. Mas o fato é que o gol rubro-negro mudou o clima do jogo, deixando o Grêmio nervoso e acuado em campo.

A partir do gol, o Fla adotou a retranca, apostando nos contra-ataques, jogando toda a responsabilidade para cima dos anfitriões.

Felipão, então, promoveu a estreia do reforço colombiano Campaz e colocou Diego Souza e Luiz Fernando para melhorar a armação e o setor ofensivo. Mas as poucas jogadas do Grêmio paravam com facilidade na marcação flamenguista, bem mais atenta no segundo tempo.

Numa inversão de papéis em comparação ao primeiro tempo, era o time da casa quem vacilava na defesa. E, numa série de erros, os visitantes sacramentaram a vitória e a provável classificação com três gols em apenas 12 minutos. 

Aos 39, Michael não desperdiçou o contra-ataque. Rodinei anotou o terceiro aos 45 e Vitinho marcou o quarto, em cobrança de pênalti, anotado com ajuda do VAR, aos 51 minutos.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir