Cidadeverde.com
Últimas

Motoristas suspendem paralisação de ônibus e defendem assinatura de convenção coletiva

Imprimir

 

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com 

Em assembleia realizada na manhã deste sábado (16), os motoristas e cobradores do transporte coletivo decidiram manter a suspensão da paralisação marcada para começar na próxima segunda-feira em Teresina. A decisão, que havia sido antecipada ontem pelo presidente do sindicato da categoria, foi confirmada pelos demais trabalhadores que se reuniram na manhã de hoje. 

A paralisação foi suspensa após um pedido da Procuradoria Geral do Município (PGM), que deu um prazo de 72 horas para que os empresários do transporte coletivo regularizem os pagamentos dos trabalhadores e se manifestem sobre a convenção coletiva de trabalho. 

“A gente concordou com o procurador do município, que pediu que a gente suspendesse a paralisação de segunda feira. Vamos retornar o diálogo com ele na terça, para ver se a gente consegue assinar a convenção coletiva de trabalho. Então, reunidos, resolvemos suspender esse movimento”, informou o presidente do Sintetro, Ajuri Dias. 

Ainda de acordo com o presidente do sindicato, os motoristas e cobradores querem a assinatura da convenção como forma de garantir a efetivação dos direitos da categoria. “Estamos pensando em resolver os problemas. O que vai dar uma segurança para o trabalhador é a convenção assinada. O pagamento retroativo, a gente ainda espera, mas a convenção coletiva é o que vai dar a segurança para a categoria”, destacou. 

Com a suspensão da paralisação, os ônibus devem circular normalmente na segunda-feira, dentro do estabelecido pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans). 

Atualmente, os motoristas e cobradores na capital têm recebido o salário através de diárias. Os trabalhadores querem o salário integral para que o retorno dos ônibus aconteça em Teresina. 

A categoria defende o valor de R$ 2.039,00 para os motoristas e R$ 1.288,00 para os cobradores. Além disso, reivindicam também a volta do ticket alimentação, plano de saúde e a jornada de trabalho de 7h20.

 


Natanael Souza
[email protected] 

Imprimir