Cidadeverde.com
Geral

"Me machucava, doía muito", diz jovem em relatos de abusos contra estudante de medicina

Imprimir

Foto: arquivo pessoal

Indiciado pela Polícia Civil do Piauí por estupros de vulneráveis, entre as vítimas suas irmãs menores, o estudante de medicina, Marcos Vitor Aguiar Dantas Pereira, 22 anos, é alvo de uma quinta denúncia. 

No mês de agosto deste ano, o estudante foi denunciado por abusar sexualmente de quatro crianças e adolescentes do mesmo grupo familiar. Ele foi indiciado por três estupros, mas o inquérito da quarta vítima, uma adolescente que frequentava a casa do estudante, ainda não foi concluído. 

Uma jovem de 19 anos, prima de uma das vítimas, acusa o estudante, que está foragido, de aproveitar o ambiente familiar para praticar os estupros. 

“Ele me trancava no quarto, baixava o short e colocava o pênis para fora e com uma mão ele se masturbava e com a outra mexia tanto as minhas partes íntimas que machucava. Doía muito, chorava de dor, tinha dificuldade até para fazer xixi”, conta.  

A jovem garante que os abusos aconteciam dos 12 aos 14 anos quando ela passava as férias na casa da tia, a ex-madrasta do estudante. Na época, ele tinha 15 anos. 

“Ele me dizia que ninguém iria acreditar em mim, pois ele era uma boa pessoa, um bom filho, acima de qualquer suspeita. Eu fiquei com medo”, disse.

Sete anos depois, ela descobriu em julho desde ano que sua prima foi vítima do estudante. Porém, não registrou boletim de ocorrência na Polícia.

“Eu vi que não estava só, mas não quis denunciá-lo por medo e vergonha. Ainda me sinto angustiada. Quero só esquecer, vou denunciar se realmente for preciso”, disse a jovem que é estudante e não mora em Teresina. Atualmente ela é casada e tem um filho de um ano e quatro meses. 

Durante adolescência, ela disse que teve dificuldade de se relacionar e não tinha vontade nem de se arrumar.

“Minha mãe comprava brincos, colar para eu usar, mas não ligava. Hoje me sinto culpada de não ter avisado minhas tias, talvez as meninas nem iriam passar por isso”.

A mãe de uma das garotas relatou que o estudante teria estuprado cerca de sete meninas. Três delas não quiseram registrar boletim de ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) em Teresina.  Uma delas é a jovem de 19 anos. 

Após relatos, jovem será ouvida

O coordenador das delegacias especializadas de Teresina, delegado Matheus Zanatta confirmou que a jovem não registrou boletim de ocorrência, mas após denúncias ela será ouvida.  

“Como se tornou público que ela é vítima, vamos atrás para ela ser ouvida e verificar se procedem essas informações”, disse Matheus Zanatta, acrescentando que a Polícia continua as buscas para localizar o estudante que está com mandado de prisão em aberto desde o dia 7 deste mês. 

O portal Cidadeverde.com conversou com o advogado do estudante, Eduardo Faustino, que não quis falar sobre o caso e afirmou apenas que o processo corre em segredo de justiça.

 

Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir