Cidadeverde.com
Esporte

'Meu maior patrimônio é o torcedor', diz presidente do Cori-Sabbá ao citar esforço por laudos do Tiberião

Imprimir
 
O Cori-Sabbá em 2022 retorna a elite do futebol piauiense apos cinco anos. O acesso tão desejado agora se atrela a trabalho árduo para conseguir representar bem a camisa do clube e também a cidade de Floriano dentro do Piaueiense que inicia no dia 15 de janeiro. Com isso, o Cori pretende se apresentar as atividades ainda no mês de dezembro. O time conversa com o técnico Dejair Oliveira para comandar o elenco próximo ano, mesmo técnico que comandou o time até o acesso. 
 
"Vamos acelerar nosso trabalho para que possamos estrear no  dia 15 ou 16 de novembro. Acelerar tanto a parte de contratações como a apresentação em si, pois estava trabalhando para apresentar o elenco depois do natal e agora vou ter que antecipar essa apresentação até pela preparação que é necessária para sustentabilidade do time dentro de campo", explicou Kamar, presidente do Cori-Sabbá. 
 
Presidente Anderson Kamar
 
Além de mapear o mercado para consegui novos jogadores que possam vestir a camisa do Cori-Sabbá na temporada 2022 a diretoria corre em busca de regularizar o palco para os jogos, no caso, o estádio Tibério Nunes, pois o local está sem laudos e vai precisar de uma pequena reforma para conseguir a liberação dos laudos e por consequencia do público. 
 
"Lá em Floriano mesmo nos não estamos aptos a jogar no estádio. Eu estive na secretária de esportes na última semana e não tive boas notícias lá, pois não tem um centavo do município e estou correndo atrás para levantar dinheiro e assim comprar o material que é exigido como hidrante, barra antipânico, para raio e até mesmo a acessibilidade dos cadeirantes e esse trabalho é o Cori-Sabbá que está fazendo, não era para ser, mas estamos porque meu maior patrimonio é meu torcedor", frisou o presidente Anderson Kamar. 
 
Sobre as conversas com o técnico Dejair Oliveira o presidente do clube também fez questão de frisar que ele é prioridade. "Eu conversei com ele desde o começo quando acabou a Série B (do Piauiense) que ele é a prioridade e que estando dentro das condições de salário o nosso treinador é o Dejair. Se por acaso acontecer algum fato e não tiver nas nossas condições vamos ter que trabalhar outro nome, nome que a gente já tem por nossa amizade no futebol", disse Kamar. 
 
O Piauiense 2022 começa dia 15 de janeiro e oito clubes irão brigar pelo título e pelas vagas nacionais referente a temporada 2023. 
 
 
Pâmella Maranhão
[email protected]
 
Imprimir