Cidadeverde.com
Esporte

Atlético-MG atropela Athletico-PR e deixa encaminhado título da Copa do Brasil

Imprimir

Campeão brasileiro após 50 anos, o Atlético-MG deu um grande passo para conquistar a Copa do Brasil. Com gols de Hulk, Keno e Vargas (2), a equipe goleou o Athletico por 4 a 0, neste domingo (12), no Mineirão. É a primeira vez na história da competição que uma equipe consegue um placar tão elástico na briga pelo título.

Fotos - Atlético-MG - Divulgação

O jogo de volta será na quarta-feira (15), às 21h30, na Arena da Baixada, em Curitiba. O time paranaense terá a dura missão de ao menos devolver a derrota por quatro gols para tentar levar a decisão para os pênaltis. Não há na competição o critério de desempate do gol marcado fora de casa.

Caso saia campeão de Curitiba, o Atlético-MG, do técnico Cuca, será o segundo clube a levantar, na mesma temporada, as taças do estadual, do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil. Só quem conseguiu o feito até hoje foi o arquirrival Cruzeiro, em 2003.

Empurrado pela torcida alvinegra, que lotou o estádio e cantou o tempo todo, o time mineiro começou no ataque e dominou a posse de bola. Só não abriu o placar aos oito minutos porque Thiago Heleno, quase em cima da linha, conseguiu cortar uma cabeçada de Diego Costa.

Pouco depois, Diego Costa, aparentemente com dores no joelho, pediu para ser substituído. Cuca chamou o chileno Vargas. Abatido, Diego Costa fez gesto de "tchau" à torcida, nem passou pelo banco de reservas e foi para o vestiário. Rodrigo Lasmar, médico do Atlético-MG, seguiu o atleta, mas não conseguiu convencê-lo para examiná-lo.

Aos 20 minutos, Zaracho lançou na área, e a bola bateu no braço de Léo Cittadini. O árbitro Bruno Arleu de Araújo marcou a penalidade. Na cobrança, Hulk bateu forte e no canto esquerdo de Santos, que acertou o lado, mas não alcançou a bola.

Foi o sétimo gol de Hulk, que foi o artilheiro do Brasileiro, com 19 gols, e também lidera a tábula de goleadores da Copa do Brasil. Até hoje, somente Gabigol, pelo Flamengo, conseguiu o posto de goleador máximo nas duas competições nacionais, em 2019.

O Athletico, encurralado no campo de defesa, não conseguia ter paz para pensar em como reagir. Keno ampliou aos 34 minutos, após troca de passes dos atleticanos desde o campo de defesa. Ele recebeu na intermediária e mandou uma bomba no canto direito de Santos.

Na etapa final, Thiago Heleno, que vinha sendo o melhor do Athletico, facilitou a vida dos mineiros. O defensor, dentro da área, deu a bola de graça para Hulk, que chutou cruzado. Santos espalmou, e Vargas aproveitou o rebote para marcar o terceiro gol, aos dez minutos.

Com uma boa vantagem, o time alvinegro não tirou o pé e soube aproveitar os espaços oferecidos pelos visitantes. Em mais um ataque letal com participação de Jair e Nacho, Hulk tocou para Vargas marcar o seu segundo gol na partida, aos 23.

Eufórica, a torcida soltou o grito de "é campeão" no Mineirão. Alberto Valentim sentiu o golpe e se refugiou no banco de reservas.

Thiago Heleno, com três cartões amarelos, está fora do confronto em Curitiba.

A conquista nacional é bem-vinda para as finanças dos clubes. A premiação pelo título é de R$ 56 milhões, e o vice embolsará R$ 23 milhões.

No caminho até a final deste domingo, os dois times receberam R$ 15 milhões cada um, contabilizando as gratificações da terceira fase (R$ 1,7 milhão), oitavas de final (R$ 2,7 milhões), quartas (R$ 3,4 milhões) e a semifinal (R$ 7,3 milhões).

Fonte: Folhapress

Imprimir