Cidadeverde.com
Esporte

Diretor da XP comemora acordo do Botafogo com sócio do Crystal Palace

Imprimir

O empresário John Textor, 56, sócio do Crystal Palace (ING), está bem próximo de assumir o controle do Botafogo. Ele e o clube assinaram um contrato que garante prioridade ao norte-americano na compra da agremiação carioca.

Dessa forma, o Botafogo deverá deixar o modelo associativo e passar a operar como SAF (Sociedade Anônima do Futebol).

O negócio foi celebrado por Pedro Mesquita, head de investimentos da XP, em suas redes sociais. Mesquita foi quem intermediou a venda do Cruzeiro para Ronaldo Nazário.

"Gostaria de parabenizar o Botafogo pela assinatura de acordo com o grupo liderado pelo americano John Textor! Mais um clube que escolheu o caminho da profissionalização", escreveu Mesquita em sua conta no Instagram.

Assim como o Cruzeiro, o Botafogo tem um passivo próximo de R$ 1 bilhão. A equipe alvinegra registrou um déficit de R$ 139 milhões em 2020, conforme o seu último balanço contábil publicado em abril deste ano.

Segundo o portal GE, Textor deverá fazer um empréstimo imediato para viabilizar a operação do clube no primeiro semestre. Porém, não há informação referente ao valor.

Textor, executivo no segmento de mídia, detém 18% das ações do Crystal Palace. Ele também já se interessou na aquisição da SAD (Sociedade Anônima de Desportos) do Benfica, em Portugal, mas não houve acordo.

Pelo Cruzeiro, o ex-jogador Ronaldo pagará R$ 400 milhões e terá o controle de 90% das ações da SAF. 

Desse montante, R$ 100 milhões serão utilizados para abater as dívidas mais urgentes, como a do transfer ban, aplicada pela Fifa e que impede o clube de inscrever reforços.

O modelo de clube-empresa foi criado a partir de um projeto de lei de autoria do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) em agosto.

Fonte: Folhapress

Imprimir