Cidadeverde.com
Economia

Sindicato acusa Petrobras de racionar combustível e alerta para desabastecimento

Imprimir

Foto: Renato Andrade / Cidadeverde.com 


Os postos de combustíveis no Piauí estão com dificuldades para repor seus estoques e poderão sofrer desabastecimento no estado. O alerta é do  Sindicato dos Postos Revendedores de Combustíveis do Estado do Piauí (Sindipostos-PI).

“Isso acontece porque a Petrobras não está entregando a quantidade de combustíveis que as distribuidoras no Piauí estão solicitando. Para completar, essa semana tivemos um problema na principal via de transporte de combustíveis para o Piauí, a linha ferroviária que tem como origem São Luís, no Maranhão”, explicou Andrade Silveira, coordenador no Sindipostos-PI. 

Devido a essa situação, a entidade sindical protocolou um ofício destinado ao coordenador geral do Procon-PI, Nivaldo Ribeiro, solicitando auxílio para resolver esse impasse. "Visto que isso poderá atingir diretamente o consumidor final. Podendo, inclusive, fazer os combustíveis sofrerem um novo reajuste", diz a nota do Sindicato. 

Segundo Andrade, a Petrobras não dá nenhuma justificativa plausível sobre os motivos de não repassar a quantidade de combustível solicitada pelos postos revendedores. A única explicação que o Sindipostos-PI afirma receber é que houve uma redução na oferta devido à guerra entre Rússia e Ucrânia. 

“Não dá explicação. Dizem apenas que os estoques mundiais estão menores em razão da oferta que a Rússia passava. Essa é a justificativa e não temos como contestar porque realmente existe esse cenário mundial”, completou Andrade Silveira. 

O coordenador do Sindipostos destacou ainda que apesar da possibilidade de os postos ficarem desabastecidos de combustíveis, não há um levantamento de quando isso pode acontecer de fato. 

“Pode ser amanhã. Não temos como prever.  A realidade que temos hoje no Piauí é a de que os postos no estado estão abastecidos, só não estão conseguindo manter seus estoques completos. E uma hora vai acabar”, concluiu Andrade Silveira. 

Aumento no preço dos combustíveis

No ofício enviado pelo sindicato ao Procon-PI, a entidade sindical afirma que informações de bastidores dão conta de que um dos motivos pelos quais a Petrobras não está repassando a quantidade de combustíveis correta para as distribuidoras é uma estratégia para fazer com que as distribuidoras fretem navios com os produtos de fora. 

“O que teria reflexos diretos e significativos nos preços, colocando em alerta o mercado revendedor. Com essa realidade, os combustíveis chegarão com preços mais altos ao mercado consumdidor”, diz trecho do ofício. 


Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir