Cidadeverde.com
Geral

Alagoas passa a utilizar o aplicativo Salve Maria, desenvolvido no Piauí

Imprimir

Foto: ATI

Já está disponível para download, no estado de Alagoas, o aplicativo de denúncia de violência contra mulher, Salve Maria, desenvolvido pela Agência de Tecnologia da Informação do Piauí (ATI). O lançamento do App é considerado para aquele estado, um marco na prevenção e no enfrentamento à violência praticada contra a mulher em Alagoas.

O app pode ser baixado gratuitamente em celulares com tecnologia iOS e Android e não só a vítima que sofre a violência pode denunciar de forma sigilosa, como também as pessoas que a percebem. Para usar o aplicativo basta aceitar os termos de condições de uso, escolher o estado de origem (Alagoas ou Piauí) e cadastrar o CPF.

O Salve Maria que também é utilizado no Maranhão, é fruto de um Acordo de Cooperação Técnica realizado entre o Governo do Estado do Piauí, por meio da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-PI) e da Agência de Tecnologia da Informação (ATI-PI) e a Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos – Semudh.

Para a secretária da Semudh, Maria Silva, esta ação é mais uma conquista voltada para as mulheres e um símbolo de uma gestão de ação, de resultado. “O Salve Maria é um instrumento que a tecnologia nos permitiu colocar disponível na palma da mão das mulheres de Alagoas para prestar socorro, para salvar vidas. Esta luta é de todas e todos nós, e com muito trabalho, vamos continuar garantindo um princípio fundamental contido na nossa constituição para nossas mulheres: o direito à vida”, disse.

“A violência contra mulher é uma luta de toda a sociedade. Os entes públicos devem dar as mãos. Juntos somos mais fortes nesse processo e nessa luta de combate à violência e o Salve Maria é uma importante ferramenta que o Governo do Estado do Piauí disponibiliza para o estado de Alagoas neste enfrentamento”, afirmou o diretor-geral da Agência de Tecnologia da Informação do Piauí, Antônio Torres.

De acordo com a Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos de Alagoas, todas as denúncias serão direcionadas para a equipe da Semudh para análise dos dados, tratamento das informações e posterior contato direto com a vítima, para orientações e direcionamentos para a Rede, tanto na capital como no interior do Estado.

“Expresso a minha gratidão ao Governo do Piauí, ao governador Wellington Dias e toda a equipe da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Agência de Tecnologia e Informação do Piauí, não só por terem firmado este termo de cooperação conosco, mas por toda dedicação em nos ajudar em cada passo da implantação”, ressaltou a secretária, Maria Silva.

Da Redação
[email protected]

Imprimir