Cidadeverde.com
Vida Saudável

Dengue em crianças: saiba quando procurar a urgência médica

Imprimir

Foto: Folhapress



O Piauí vive em 2022 um crescimento vertiginoso de casos de dengue. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (Sesapi), o crescimento foi de mais de 600%, se comparado com o mesmo período de 2021. Como consequência também existe um crescimento importante do fluxo de crianças nos atendimentos de urgência em pediatria.

A dengue em crianças merece atenção redobrada dos pais. “No início dos sintomas é esperado que as crianças apresentem febre alta e de difícil controle nas primeiras 24h e 48h, podendo persistir por mais alguns dias. Outros sintomas frequentes são: dores no corpo, mal-estar e recusa alimentar e líquida. Esses são sintomas do quadro clássico da dengue”, explica o pediatra João Francisco da Silva.

O profissional ressalta que nem sempre existe a necessidade de buscar a urgência nesses sintomas iniciais. “O atendimento de urgência deve ser procurado em situações de febre prolongada, após as 48h e 72h, e de difícil controle, crianças com mal estado geral, dificuldade de aceitação de líquidos e da medicação oral, sinais de desidratação, dores abdominais, vômitos persistentes, palidez, manchas no corpo ou quando há uma piora progressiva dos sintomas. Esses são sinais de alerta que indicam agravamento da doença e a necessidade de procurar a urgência rapidamente”, ressalta.

Outro ponto destacado é que em fases iniciais da dengue, ainda não é o momento ideal para a coleta de exames laboratoriais para confirmação do diagnóstico. “Os exames gerais como hemograma, PCR ou sorológicos para detectar a dengue só são possíveis com no mínimo três dias de sintomas”, explica o pediatra.

Para prevenção da dengue em crianças o pediatra recomenda a eliminação dos focos do mosquito Aedes aegypti. “Mantenha a casa limpa, não deixe acumular água nos locais abertos, usar repelentes e inseticidas domésticos, telas nas janelas, além do uso de roupas que protejam contra picadas de insetos também ajudam. Lembrando que as medidas terapêuticas são apenas sintomáticas, pois não existe tratamento para dengue. Por isso, a melhor forma de tratamento é a prevenção, eliminando os ovos e larvas do mosquito e consequentemente de insetos adultos”, aconselha o médico.

 


Da Redação
[email protected]

Imprimir