Cidadeverde.com
Cidades

Escolas do semiárido recebem Sistemas Agroecológicos

Imprimir

Após a formação de aproximadamente 1500 profissionais de escolas do campo, cerca de 70 escolas do semiárido do Piauí estão recebendo Sistemas Produtivos Agroecológicos (SPAs). Esta semana foi a vez da Unidade Escolar Cícero Mundinho, localizada na zona rural do município de Marcolândia, 450 Km de Teresina, receber as oficinas para construção das hortas que tem a  Secretaria de Estado da Educação do Piauí (Seduc) como co-executora do Projeto Viva o Semiárido (PVSA).

Francilene Rodrigues, coordenadora pedagógica da escola, revela que os sistemas estão sendo implantados a partir de uma oficina de capacitação realizada por técnicos.

“A capacitação envolve estudantes, docentes e gestores das escolas para orientar sobre manejo agroecológico na produção de alimentos saudáveis e a utilização dos sistemas como recurso didático na contextualização de conteúdos curriculares, bem como contribuir para a alimentação escolar”, relata a coordenadora.

A estudante Maria Vitória, neta do senhor Mundinho, que cedeu o terreno para construção da escola, é uma das participantes do projeto das hortas.  “Pra mim a escola é de suma importância, porque com ela eu obtive o conhecimento. O projeto pra mim ele é muito importante, porque como eu sou agricultora e produzo o meu alimento ele vai ser um acréscimo pra minha plantação”, diz.

Noélia Nobre Vieira, da Coordenação Regional do Projeto Viva o Semiarido da Seduc, esclarece que a implantação dos Sistemas de Produção Agroecológicos, que compõe as metas do Subcomponente de Educação do Campo Contextualizada no Semiárido, integram o Projeto Viva o Semiárido, que é objeto do Acordo celebrado entre o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e o Governo do Estado do Piauí, e tem como objetivo macro melhorar a renda agrícola e não-agrícola, as oportunidades de trabalho e geração de renda e a dotação de ativos produtivos das famílias rurais pobres da região do semiárido do Piauí.

“O Sub-Componente de Educação do Campo Contextualizada no Semiárido tem como objetivos ampliar e consolidar o processo de formação de alunos, professores e gestores da rede pública municipal e estadual em Educação Contextualizada no Semiárido; introduzir práticas educacionais e tecnológicas apropriadas à região para o incremento das atividades produtivas de forma sustentável”, completa a coordenadora.

A professora Ana Monteiro trabalha no 2º ano do Ensino Fundamental da escola de Marcolândia. Ela comemora a chegada do projeto Viva o Semiárido. “Estamos muito felizes por receber o projeto e com a implantação de hortas. Essa iniciativa vai favorecer muito a nossa comunidade escolar que está toda envolvida. É um projeto riquíssimo e que valoriza aquilo que a gente tem na nossa terra”, comenta.

A professora Francisca de Macedo Carvalho, filha do Seu Cícero Mundinho, elogia a qualidade técnica das oficinas que trouxeram muitas informações novas para professores e estudantes.

“Estamos vivenciando um momento de muita aprendizagem, então é muito proveitoso pra nós repassarmos para os alunos dessa escola vivenciando muitas experiências novas, um benefício excelente pra essa escola. Eu me sinto muito realizada, sou grata em participar das oficinas”, finaliza a professora.

Da Redação 

 

Imprimir