Cidadeverde.com
Cidades

Comunidade de Cajueiro da Praia é alertada sobre perigos do peixe-leão

Imprimir

A Prefeitura de Cajueiro da Praia (PI), por meio da Secretaria de Meio Ambiente, realizou na semana passada uma reunião com pescadores, marisqueiros e demais pessoas interessadas em obter mais informações sobre o peixe-leão. O animal foi visto recentemente na região de Barra Grande e tem causado preocupação, uma vez que é venenoso, não é natural da região e pode causar desequilíbrio ambiental e danos à saúde das pessoas.

A reunião foi conduzida pelo secretário municipal de Meio Ambiente, Daniel Soares, que destacou a importância da participação dos profissionais que receberam informações precisas sobre a espécie peixe-leão. Ele destacou a preocupação da prefeitura em garantir esclarecimentos sobre o assunto para todos os profissionais que vivem da pesca e comunidade.

Em seguida, Pedro Carneiro, biólogo da Universidade Federal do Delta do Parnaíba, iniciou sua palestra destacando que as comunidades de pescadores são as que podem ter contato direto com esse animal que pode chegar a 47 cm de comprimento, possui uma coloração listrada e esporões/espinhos na parte dorsal (nas costas) e na barriga. As pessoas não devem, em hipótese alguma, tentar manipulá-lo. “A espécie não é agressiva, mas ao ser tocada, pode, com seus esporões, acabar machucando e causando danos à saúde através do seu veneno”, alerta.  Ele mostrou o objeto utilizado para capturar o peixe-leão e repassou dados importantes sobre o animal.

Ainda segundo o biólogo, o peixe-leão pode causar um desequilíbrio ambiental, já que é um predador que não possui predador, ou seja, não existem na região outros peixes ou animais marinhos que se alimentem dele. “Podem começar a faltar outras espécies de peixes e isso pode se refletir também economicamente, caso haja uma super população de peixe-leão, uma vez que vão desaparecer outras espécies de peixe”, acrescenta.

O profissional afirma ainda que caso haja algum incidente com o peixe-leão, para a maioria das pessoas os sintomas são dor e inchaço, mas podem haver outras complicações à saúde, como convulsões, febre, parada cardíaca e até mesmo a morte, daí a necessidade de procurar atendimento médico.

Além do Piauí, vários peixes-leão já foram avistados na costa do Pará, no litoral do Ceará e em Fernando de Noronha (PE), deixando especialistas em alerta. Reuniões serão realizadas nos próximos dias com as comunidades de pescadores de Luís Correia e Parnaíba para esclarecer sobre os perigos da espécie.

Da Redação

Imprimir