Cidadeverde.com
Economia

Por que as criptomoedas são tão populares?

Imprimir

Foto: A7 Press/Folhapress

A tecnologia tem trazido uma série de inovações que até poucos anos atrás eram totalmente desconhecidas. Os celulares com tela sensível ao toque, os óculos de realidade virtual e agora as moedas criptografadas fazem sucesso pelos quatro cantos do mundo. Qualquer investidor que se preze tem um valor investido em criptomoedas, mas você sabe o porquê disso?

Alguns dizem que é pelo caráter acessível da moedas, que hoje são aceitas em todo o tipo de lugar, desde cassinos físicos até cassinos online como o GG Bet onde pagar com criptomoeda é uma realidade. Entretanto, além da facilidade de uso que as criptomoedas vêm ganhando nos últimos anos, outros recursos explicam o sucesso dessa moeda diferente.

Privacidade é a chave
As criptomoedas são feitas de tecnologia de programação, e sua construção se baseia em códigos e em blockchain, uma cadeia de informações que são a tecnologia mais segura que se tem notícia atualmente. Uma moeda com um blockchain não pode ser hackeada, por conta da sua robusta construção e estar em constante evolução, aprimorando sua proteção mesmo que o dono da criptomoeda não faça nada em relação a isso.

Em um mundo onde a informação se tornou o novo ouro, possuir moedas que podem ocultar informações é um bem valioso para investidores e compradores em geral. Muitas pessoas estão em busca de privacidade, dado que o mundo se tornou um grande livro aberto com a exposição dos dados e da vida de cada um na capa e na contra capa.

Nesse sentido, possuir um meio de pagamento que é irrastreável é uma nova forma de fazer negócio. Garantir a privacidade do comprador e do vendedor é alto simples, mas que também pode ser facilmente quebrado por uma autoridade. Isso porque cada transação deixa rastros e um histórico na própria criptomoedas, facilitando traçar memórias de compras e vendas.

Autonomia em jogo
Apesar de ter surgido com essa proposta de garantir a privacidade em última instância dos seus proprietários, aos poucos os governos e autoridades públicas vem criando leis que determinam o dever das pessoas em informar a quantidade e o número de suas criptomoedas. Essas ordens têm o objetivo claro de controlar esse mercado cada vez maior, mas muito mais.

Há notícias de que criminosos estão usando criptomoedas para lavar dinheiro, uma vez que para comprar a moeda eles não precisam declarar a fonte do dinheiro. Com a criptomoeda em mãos, esses criminosos podem fazer transações, comprar carros, aviões e tudo o mais que quiserem, sem precisar passar pelo crivo das autoridades fiscais dos países.

Esse tipo de movimentação tem atraído o olhar das autoridades e elevado o debate acerca da limitação da liberdade dos proprietários de criptomoedas. A tendência é que nos próximos anos seja mais comum leis e decretos emitidos por governos locais tendo por escopo o controle da auditoria do mercado de criptomoedas que cresce vertiginosamente.

Reserva de valor
Polêmicas à parte, a criptomoeda vem conquistando cada vez mais espaço em carteiras e fundos de investimento. O custo dessas moedas é extremamente volátil e uma moeda que não vale nada hoje pode falar algumas centenas de milhares de dólares amanhã. Tudo depende do valor de mercado e como as grandes corporações pretendem incorporar a criptomoedas em suas rotinas.

Isso tem levado as pessoas a abandonarem as antigas reservas de valor como propriedades e ouro, até mesmo em dólar, para investir cada vez mais em criptomoedas como o bitcoin. A explicação para essa movimentação também tem um teor número. Nos últimos anos a moeda foi o bem de valor que mais se valorizou, ultrapassando o próprio ouro no mercado de capitais.

O milagre da multiplicação
Assim como a multiplicação dos peixes relata na Bíblia, as criptomoedas também podem se multiplicar, entretanto, até um valor determinado. Há um número próprio para cada moeda e ao chegar nessa quantidade, os criadores dizem que ninguém mais poderá encontrar uma moeda zerada. Será necessário comprar a moeda de alguém que já possui um ficar sem.

Esse é um outro fator que tem levado milhares de pessoas a investirem cada vez mais em moedas criptografadas. Afinal, o dinheiro como dólar ou real acaba se desvalorizando dado que os governos emitem novas moedas sempre que enfrentam momentos de crises ou necessidades de arcar com as dívidas assumidas.

Ligar a impressora do estado para imprimir mais dinheiro pode ajudar no curto prazo, mas no longo acaba desvalorizando a moeda de quem acabou poupando. Esse é um dos motivos da inflação que tem alcançado níveis incontroláveis em economias de primeiro mundo com as dos EUA. Por isso, a mudança de rota de muitas pessoas que querem preservar o seu dinheiro.

O fato é que estamos apenas no começo da era das criptomoedas e muitas questões ainda precisam ser respondidas. Vamos esperar que o tempo nos responda se as criptomoedas serão ou não o novo ouro da modernidade.

Da Redação
[email protected]

Imprimir