Cidadeverde.com
Geral

DHPP solicita exames para comprovar se ossada é de adolescente que estava desaparecido

Imprimir

Foto: Reprodução/WhatsApp

O delegado Francisco Baretta, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), afirmou que a ossada humana encontrada na terça-feira (24) terá que passar por exames e que ainda não é possível atestar a causa da morte.  A suspeita é que a vítima seja Fernando Ribeiro da Silva Filho, de 13 anos, que estava desaparecido há um mês.

A ossada foi encontrada no loteamento Cláudio Pacheco, no bairro Vale do Gavião, na zona Leste de Teresina. Segundo o delegado Baretta, só com exames é possível atestar se foi um caso de homicídio.

“Nós não temos conhecimento se sequer há um crime. Se o resultado daquela ossada é de crime, contudo estamos aguardando o aparato policial técnico cientifico da Polícia Civil se pronunciar. Foram encaminhados para lá as requisições para os exames, mas não podemos adiantar nada porque não sabemos”, explicou.

A suspeita de que a vítima seja Fernando Ribeiro da Silva Filho, de 13 anos, surgiu porque próximo ao corpo foram encontradas algumas roupas, que foram identificadas pela mãe da vítima. Segundo a família, ele foi visto pela última vez no dia 24 de abril deste ano, após sair de uma festa e ser visto entrado em um matagal.

Foto: Reprodução/WhatsApp

Baretta explicou que no momento não é possível dizer se a vítima é o adolescente Fernando Ribeiro, e que a confirmação não pode ser feita apenas com a roupa.

“A pessoa disse que tinha uma veste lá. Será que uma veste é o suficiente para identificar uma pessoa? Não. São várias vestes iguais e tem todo um caminho para a investigação para ser feito, mas precisamos do resultado, pois o crime de homicídio é de natureza material, naturalístico, então não podemos dar um passo se não houver um exame cadavérico categoricamente acusando a causa da morte, se foi violenta e criminosa”, destacou.

 
Bárbara Rodrigues e Tiago melo
[email protected]

 

Imprimir