Cidadeverde.com
Cidades

Juiz marca audiência de julgamento contra empresário e advogados por morte de jovens

Imprimir

Fotos enviadas ao Cidadeverde.com

Luian Ribeiro de Oliveira, 16 anos, e Anael Natan Colins, 17 anos

O juiz Antônio Reis de Jesus Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri de Teresina, em decisão do dia 25 de maio, designou para o dia 4 e 5 de agosto deste ano a audiência de instrução e julgamento, do empresário João Paulo de Carvalho Gonçalves, e os advogados Francisco das Chagas Sousa e Guilherme de Carvalho Gonçalves Sousa, que são acusados pelos assassinatos dos adolescentes Luian Ribeiro de Oliveira, 16 anos, e Anael Natan Colins, 17 anos.

Em despacho o juiz afirmou que as audiências devem ser realizadas nos dias 4 e 5 de agosto de 2022, às 8h30, quando serão ouvidas as testemunhas, colhidos os interrogatórios dos acusados e, na sequência, realizados os debates orais. Depois o Ministério Público e a defesa vão apresentar as alegações finais, e o juiz vai decidir se o caso vai para o Tribunal Popular do Júri.

“A audiência ocorrerá de modo presencial, uma vez que o Ministério Público, a Defesa, bem como os acusados e as respectivas testemunhas deverão comparecer presencialmente ao fórum, quando da realização do referido ato processual”, afirmou o juiz Antônio Reis Nollêto.

O juiz ainda aceitou o pedido da defesa dos acusados que desistiu da realização da reprodução simulada dos fatos, ou seja, da reconstituição do crime, e do pedido de perícia no local onde os corpos das vítimas foram encontrados.

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com


Empresário João Paulo está preso

O empresário João Paulo de Carvalho Gonçalves e o primo Guilherme de Carvalho Gonçalves estão presos desde o dia 8 de fevereiro. Já o advogado Francisco das Chagas Sousa, de 70 anos, devido ao seu estado de saúde está em prisão domiciliar.

O crime

Os dois jovens haviam desaparecido após uma festa, realizada no dia 12 de novembro de 2021 em um sítio próximo à Ladeira do Uruguai, na zona Leste de Teresina. Depois de dois dias de buscas, os corpos dos adolescentes foram encontrados em um matagal às margens da PI-112, rodovia que liga a capital ao município de União. 

Os três acusados foram presos no dia 8 de fevereiro. O promotor de justiça, Regis Marinho, ofereceu no dia 22 de fevereiro a denúncia contra o empresário João Paulo de Carvalho, além de seu tio e primo acusados de torturar e matar os dois adolescentes. O empresário e os advogados Francisco das Chagas Sousa e Guilherme de Carvalho Gonçalves foram denunciados por duplo homicídio, ocultação de cadáver, sequestro e cárcere privado qualificado dos adolescentes Luian Ribeiro de Oliveira, 16 anos, e Anael Natan Colins, 17 anos.  A motivação do crime foi por vingança. 

Sobre a dinâmica do homicídio, o coordenador-geral do DHPP, o delegado Francisco Baretta, relatou que os adolescentes foram torturados, espancados e depois mortos após serem flagrados no sítio do advogado Francisco das Chagas, tentando entrar em uma festa no sítio do lado. 

 

Bárbara Rodrigues
[email protected]

Imprimir