Cidadeverde.com
Geral

Ao fazer postagem em rede social, jovem é localizado e morto por desafeto

Imprimir

Foto: Renato Andrade / Cidadeverde.com 

Um jovem identificado como Irlan Alves Bezerra, 21 anos, morreu com disparo de arma de fogo na noite desta segunda-feira (30) quando consumia bebida alcoólica com amigos na avenida principal do Promorar, zona Sul de Teresina. 

Irlan estava morando no Pará desde que sofreu uma tentativa de homicídio em março deste ano e havia acabado de retornar a Teresina. 

Segundo investigações do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), a vítima fez uma postagem nas redes sociais enquanto confraternizava com os amigos, o que facilitou para o seu desafeto localizar o endereço onde ele estava. 

Ao Cidadeverde.com, o delegado Danúbio Dias, do (DHPP), informou que os relatos das pessoas que estiveram com a vítima durante o encontro apontam que um homem não identificado se aproximou de Irlan Bezerra e efetuou vários disparos. 

“Seis deles atingiram o Irlan na região do tórax, membro superiores e inferiores. As informações que temos é que ele era envolvido com homicídios e possivelmente roubos. Não temos informações dele com facções criminosas, mas o envolvimento do homicídio não”, destacou o delegado Danúbio Dias. 

A Polícia suspeita que Irlan tenha sido morto por vingança, já que ele é investigado pelo homicídio de um homem no ano de 2018. 

Primeira tentativa de homicídio

Irlan Bezerra sofreu a primeira tentativa de homicídio em março deste ano no bairro Lourival Parente, zona Sul de Teresina. Na ocasião, o cabeleireiro Igor Silva foi morto por engano.  

“As investigações com relação à morte do cabeleireiro Igor revelaram que o alvo seria o Irlan. Ele sofreu dois disparos na perna e o cabeleireiro foi atingido na região do tórax e não resistiu”, acrescentou o delegado Danúbio Dias. 

O delegado destacou ainda que as desconfianças quanto ao Irlan começaram no depoimento sobre o caso envolvendo a morte do cabeleireiro. 

“Nós identificamos muitas contradições no relato dele. Ele deu uma versão muito fantasiosa. Descobrimos que ele estava mentindo e que o alvo de fato era ele. O cabeleireiro estava no lugar errado, ao lado da pessoa errada”, destacou o delegado. 

Depois da morte do cabeleireiro, Irlan foi embora para o Pará. “Esses dias ele retornou e publicou o retorno nas redes sociais dele, no mesmo dia da execução. Isso facilitou a localização dele”, concluiu o delegado Danúbio Dias. 

 

Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir