Cidadeverde.com
Política

“Essa Casa não pode continuar nesse rebuliço político”, afirma Jeová Alencar

Imprimir

Foto: Renato Andrade/ Cidade Verde

O vereador Jeová Alencar (Republicanos) falou, nesta quinta-feira (09), sobre a saída do vereador Enzo Samuel (PDT) da liderança na Câmara Municipal. O parlamentar disse que Enzo Samuel teria sido “castrado” de agir politicamente na Casa e criticou o que chamou de “rebuliço político”. 

“Dando apoio ao vereador Enzo, desempenhava um grande trabalho aqui na Casa, mas se sentiu tolido de suas funções, em virtude da castração de estar agindo politicamente aqui, se viu pela imprensa que ele não poderia fazer essa articulação. Ele tem o meu apoio, não só do Jeová, mas de todos os vereadores. A gente lamenta, mas ele continua na base do prefeito. Esperando que volte ao normal, pois essa Casa não pode continuar nesse rebuliço político. A cidade precisa dos vereadores e ele tem o nosso apoio”, destacou. 

Jeová Alencar e Enzo Samuel reuniram um grupo de diversos vereadores em uma reunião a portas fechadas que durou pelo menos 2h. Entre os presentes estavam a vereadora Pollyana Rocha (PV), Thanandra Sarapatinhas (Patriota), Capitão Robeval (União Brasil), Markim Costa (Sem partido), Dudu Borges (PT), Zé Filho (Republicanos). O próprio Jeová Alencar, que foi diagnosticado com conjutivite e estava repousando em casa, foi até à Câmara, exclusivamente, para o diálodo com o grupo. 

Alguns parlamentares ouvidos pelo portal Cidade Verde avaliaram que Enzo Samuel deveria ter aguardado para conversar com Dr. Pessoa antes de tomar a decisão de sair da liderança. Porém, declararam apoio e solidariedade à situação do vereador. 

O vereador Dudu Borges defendeu em entrevista que os vereadores devem agir de forma que a disputa nas eleições estaduais de 2022, não interfiram no andamento das pautas administrativas e institucionais na Câmara. 

“Acabamos de conversar com os colegas na presidência exatamente para que a gente  possa não contaminar a parte nossa administrativa com o processo eleitoral de 2022, porque temos uma responsabilidade constitucional e institucional com o povo de Teresina. É uma Câmara madura. Temos que continuar a desempenhar o nosso papel”, destacou.


Paula Sampaio
[email protected]

Imprimir