Cidadeverde.com
Geral

Escolas não notificam casos, alerta Sindicato dos Professores

Imprimir

Fotos: Arquivo/Cidadeverde.com

Uma única escola privada de Teresina suspendeu as aulas presenciais após alunos testarem positivo para a Covid-19. A informação foi confirmada pelo Sindicato dos Professores e Auxiliares da Administração Escolar do Piauí (Sinpro-PI) ao Cidadeverde.com nesta terça-feira (14).

Segundo a entidade, o cenário epidemiológico pode ser ainda mais grave. Isso porque, os estabelecimentos de ensino estariam descumprindo os protocolos sanitário e deixando de notificar casos de infecção em alunos, professores e demais funcionários.

"Como as escolas não estão informando, estamos conseguindo as informações com os colegas que trabalham nos estabelecimentos  onde estão ocorrendo esse tipo de situação. São eles que nos comunicam", disse o professor Kleber Ibiapina, secretário jurídico do Sinpro-PI.

Após reunião na última segunda-feira (13), o Comitê de Operações Emergenciais (COE) da Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi) decidiu pela volta da obrigatoriedade do uso de máscara em ambientes fechados em todo o estado. O decreto também vai determinar como será o afastamento dos estudantes em caso de teste positivo. 

A medida, que deverá ser adotada em salas de aula, acontece dias após a Universidade Estadual do Piauí (Uespi) suspender o ensino presencial em turmas dos cursos de Administração, Ciências Contábeis e Direito após casos de Covid-19 entre alunos.  

Recentemente infectologistas, pesquisadores e técnicos da Sesapi discutiram o problema das subnotificações de casos da doença. De acordo com o Sinpro-PI, o retorno do uso obrigatório do item de proteção também atende uma solicitação feita a representantes do COE.

“Isso é algo que tem nos preocupado porque temos visto o crescimento dos casos, de pessoas se afastando pela doença e turmas sendo isoladas novamente. Isso tem nos preocupado, porque isso vem pelo relaxamento das normas sanitárias”, argumenta Ibiapina.

O outro lado

Por sua vez, o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Piauí (Sinepe-PI) informou à reportagem que seguirá todas as diretrizes do COE tão logo publicadas em decreto, porém, fez ressalvas quanto às alegações apresentadas pelo Sinpro-PI. 

Leonardo Airton Soares, presidente da entidade, garantiu que os estabelecimentos de ensino no estado estão cumprindo as normas e notificando todos os casos positivos de covid-19 à Divisão de Vigilância Sanitária (Divisa) da Sesapi.

"As instituições de ensino vem cumprindo isso desde o retorno das atividades presenciais em sala de aula, de acordo com o que ficou definido pelas autoridades sanitárias, ninguém deixa de fornecer as informações”, enfatizou o professor Leonardo Airton Soares

Devido ao fim do estado de emergência pública em saúde por conta da pandemia, a entidade também esclareceu que não tem feito a suspensão das atividades presenciais, como reportou o Sinpro-PI, apenas o afastamento temporário de alunos e professores infectados.

“Está comprovado que o ambiente escolar é seguro, as infecções acontecem fora do ambiente escolar. As escolas estão funcionando normalmente, mas infectados são afastados. Essa é nossa orientação, pois todos os setores estão funcionando dessa forma”, conclui Soares.

 

 

Breno Moreno
[email protected]

Imprimir