Cidadeverde.com
Geral

DHPP vê indícios de facções após mensagem no WhatsApp com morte de jovem

Imprimir


O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) está investigando o envolvimento de uma facção criminosa no assassinato de Eduardo Araújo, de 20 anos, após a divulgação de mensagem em grupos de WhatsApp. Ele foi morto com seis tiros na tarde de quinta-feira (23), no bairro Dirceu Arcoverde, na zona Sudeste da cidade de Teresina.

A vítima não possui passagens pela polícia e não há informações oficiais sobre o envolvimento de Eduardo Araújo em alguma facção criminosa. O crime teve características de execução e a divulgação da mensagem que foi compartilhada no WhatsApp após o assassinato levantou a suspeita de envolvimento de algum grupo criminoso.

A mensagem divulgada no WhatsApp tem ao fundo o corpo de Eduardo Araújo e a frase “Pq fui inventar de ser PCC”. 

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com

A polícia agora apura se a vítima realmente era de alguma facção ou se apenas tinha amizade com algum faccionado, e por isso teria sido morto por um grupo rival.

“A informação que nos traz é que de fato foi uma execução, realizada por um grupo rival, mas o que se precisa é esclarecer se de fato ele pertencia a um grupo rival ou se apenas tinha uma amizade com componentes desse grupo rival, e aí os suspeitos podem ter confundido com alguém que eventualmente eles queriam estar tirando a vida”, afirmou o delegado Bruno Ursulino, do DHPP.

 

Bárbara Rodrigues e Tiago Melo
[email protected]

Imprimir