Cidadeverde.com
Últimas

Assassinato de mototaxista completa 1 ano e família cobra por Justiça

Imprimir

Foto:Arquivo Pessoal

Um ano após o assassinato do mototaxista Antônio de Sousa Rocha, de 79 anos, a família cobra por justiça e pede a prisão do policial militar aposentado Raimundo Alves da Costa,  acusado pelo crime. Na última quarta-feira (13), a família realizou na Capela Santo Afonso, no bairro Matadouro, a missa de um ano de falecimento do mototaxista.

Antônio de Sousa foi assassinado no dia 10 de julho de 2021, quando estava trabalhando  na Avenida Maranhão em Teresina. O policial Raimundo Alves é acusado pelo crime, chegou a ser preso no dia 19 de julho, mas foi solto no dia 16 de dezembro de 2021. Ele será julgado pelo Tribunal do Júri em data que ainda será marcada.

A filha do mototaxista, Inaja Costa, afirmou ao Cidadeverde.com que com 1 ano de falecimento do seu pai, a dor pela perda só aumenta, principalmente por saber que o acusado está solto.

“Nós como família estamos sem chão, um ano se passou a dor só aumenta pela ausência física da falta do nosso patriarca, foram meses de angústia e revolta. Não conseguimos encerrar o luto, por que o ciclo nunca se fechou, a sensação de injustiça sentimos na pele todos os dias quando nos deparamos com a inversão de valores ao viver a triste realidade de saber que o monstro que cometeu e confessou o crime bárbaro continua solto e nosso patriarca nunca mais vai voltar. Meu pai não teve a chance de ser cuidado como imaginávamos que seria seu últimos dias de vida. Era um homem cheio de vida, projetos e sonhos, trabalhava porque amava o que fazia há mais de 20 anos, se sentia útil, tinha sua independência, ajudava os filhos e amigos. Homem honrado que morreu porque queria trabalhar, ele saiu de casa pra trabalhar”, afirmou.

O crime ocorreu após uma discussão entre a vítima, que trabalhava no local há 22 anos onde foi morto, e o policial que trabalhava de forma clandestina, e que queria ficar no mesmo ponto onde ficavam os demais trabalhadores legalizados, o que não era aceito pela vítima. Segundo a filha, os dois já tinham se desentendido anteriormente, onde o mototaxista cortou a cabeça do seu pai com um capacete.

Ela afirmou que a família quer Justiça e pede a prisão do acusado. “A dor que estou sentindo e vou sentir pra sempre não quero que ninguém sinta, porque é uma dor horrível. Quero que a justiça seja feita, que ele pague pelo que fez, tirou a vida de um homem digno, honesto, trabalhador. Queremos vê-lo na cadeia, que pague pelo que fez. Ele agiu com uma crueldade terrível, meu pai não merecia. Ele acertou 4 tiros em locais vitais no meu pai, ele premeditou tudo aquilo, não existe legítima defesa para tal ação. Quanta maldade meu Deus, a vida é uma dádiva, é benção, ninguém tem o direito de tirar a vida do outro. Esperamos que a justiça seja feita”, disse Inaja Costa.

 

 

 

 

Bárbara Rodrigues
[email protected]

Imprimir