Cidadeverde.com
Últimas

Avenida na zona Norte de Teresina já registrou 17 acidentes e 3 óbitos este ano

Imprimir

Foto: Renato Bezerra/Semcom

A Avenida Poti Velho, localizada na zona Norte de Teresina, já registrou 17 acidentes de janeiro a julho de 2022. Os mais recentes ocorreram nos últimos sábado (16) e domingo (17) e provocaram a morte de uma passageira e um ciclista.

O levantamento é do Batalhão de Policiamento de Trânsito do Piauí (BPtran) e foi divulgado ao Cidadeverde.com. Segundo os dados, do total, foram seis acidentes com vítimas lesionadas e três óbitos. Já o restante, oito acidentes, não tiveram vítimas feridas.

A Avenida Poti Velho, que começa na ponte Mariano Gayoso Castelo Branco e segue até a Avenida Ministro Sérgio Motta foi inaugurada há quatro anos, no dia 26 de agosto de 2017 e é o principal acesso ao bairro Santa Maria da Codipi.

A via possui 5,6 quilômetros de extensão, seis faixas para veículos, sendo três em cada sentido, além de faixas exclusivas para ônibus urbanos, ciclovias e passeios.

Antes de ser inaugurada, uma estrada estreita fazia a ligação entre os bairros Poti Velho e a grande Santa Maria e no local já ocorriam de diversos acidentes.  

Procurado pela reportagem, a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans) informou que a Avenida Poti Velho teve toda a iluminação trocada e recentemente recebeu uma nova sinalização.

“Há menos de três meses foi feita a sinalização, é uma sinalização nítida. A iluminação foi trocada para led, está em perfeito estado, dá para iluminar bem a via e também dá reflexo na sinalização. Na via toda tem placas de 70 KM/H, de limitação da velocidade, temos pintura no chão, a legenda de velocidade”, explica a engenheira Ananda Patrícia, da equipe de Divisão de Sinalização de Trânsito da Strans.

Foto:  Divulgação/Guarda Civil Municipal

Sobre um dos últimos acidentes que ocorreram no local, Ananda Patrícia aponta que a imprudência do motoqueiro foi o principal fator.

“É uma via de seis faixas com canteiro central, três faixas para cada sentido, e então não tem como uma pessoa andar na contramão sem saber que ela está na contramão, então foi negligência do motoqueiro”, diz.

Além da sinalização, a pista possui dois pontos de redutores de velocidade. Ainda de acordo com a Strans, o último, no cruzamento com a rua Pau D’Arco, foi colocado para inibir a ultrapassagem no sinal vermelho pelos condutores que provocava colisões no local.

“A Avenida Poti Velho tem dois pontos de recuo da velocidade, um próximo a rotatória com a Avenida Josué de Moura Santos e outro ponto com semáforo no cruzamento da Rua Pau D’Arco, porque as pessoas estavam cruzando o sinal vermelho e causando colisões, então colocamos esse redutor”, acrescentou a engenheira Ananda Patrícia.

Também segundo a Strans, outras irregularidades observadas no local são a falta de atenção dos motoristas, pessoas circulando com veículos velhos, motociclistas sem capacetes e sem placa no veículo e condutores infringindo a regulamentação de velocidade da via, sendo fatores decisivos para a causa de acidentes.

Ainda com o objetivo de diminuir a quantidade de acidentes no local, Ananda Patrícia informou que a Strans prepara uma ação educativa, que deve ser realizada nas próximas semanas. 

“A Strans vai fazer a parte educativa, provavelmente iniciando na próxima semana, onde vamos parar os veículos, informar as leis de trânsito, principalmente as que estão sendo infringidas no local”, destaca a engenheira da Strans.  

 

Rebeca Lima
[email protected]

Imprimir