Cidadeverde.com
Política

“Não somos simplesmente uma terceira via”, afirma pré-candidato Fábio Sérvio

Imprimir

Foto: Renato Andrade/ Cidade Verde

Pré-candidato ao Senado pelo Podemos, Fábio Sérvio, afirmou nesta segunda-feira (25) que o projeto do partido é “muito mais do que uma terceira via” nestas eleições. O empresário defendeu que a sigla coloca-se como uma alternativa frente às outras pré-candidaturas que ele considerou como “faces da mesma moeda”. 

“Eu não acredito que nós sejamos simplesmente uma terceira via, mas nos consolidamos realmente como um alternativa, pelo que representamos. Candidatura é representatividade”, destacou o pré-candidato. 

Fábio Sérvio também fez críticas as narrativas que têm sido colocadas por candidatos e pré-candidatos nas campanhas de oposição e situação. 

“Eu vejo essas pessoas falarem da própria história de vida deles, quando, na verdade, o que é importante é a história de vida das pessoas. Não é o Wellington Dias ter sonhado em ser vaqueiro ou o Joel dizer ser filho de carroceiro. É sobre quantos filhos de carroceiros que tiveram acesso a uma educação de qualidade em Floriano”, acrescentou. 

PROPOSTAS 

Como pré-candidato ao Senado, Fábio Sérvio falou em propostas sobre tecnologia, atração de investimentos e fez duras críticas ao projeto de desenvolvimento do estado dos últimos 20 anos 

“Um senador tem condição de influenciar a política muito mais do que um deputado federal e tem condições de influenciar e cobrar um governador do estado. A maior parte das emendas destinadas é diluída e não é concentrada em um projeto de desenvolvimento e também não há uma cobrança efetiva diante do cenário do estado”, avaliou. 

PRESIDENTE 

Fábio Sérvio pontuou ainda não ter definido apoio para um pré-candidato à presidência, após a desistência de Sergio Moro (União Brasil) ao cargo pelo Podemos.

Ele fez críticas ao nome do ex-presidente Lula (PT) e ao comentar sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL), considerou que houve uma boa entrega de ações, mas acrescentou que não se consolidou uma esperada renovação na política com a eleição do capitão 

“Eu, particularmente, não tenho condição mínima de votar no PT, não voto no Lula. Tem pessoas boas no PT, mas não vi nenhum projeto”, frisou. “[Em relação a Bolsonaro] acho que poderíamos ter feito uma grande renovação aqui no estado com o apoio dele e essa renovação não aconteceu”, disse. 


 

Paula Sampaio
[email protected]

Imprimir