Cidadeverde.com
Geral

Casal usava estúdio de bronzeamento para camuflar tráfico de drogas em Teresina

Imprimir

O casal preso nesta quinta-feira (18) durante operação da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (Depre), que cumpriu 35 mandados contra suspeitos de tráfico de drogas em Teresina e Altos, usava um estabelecimento comercial na zona Leste da capital como fachada para a prática criminosa. 

“Eles praticavam o tráfico de drogas e se utilizavam de um salão de bronzeamento para camuflar essa atividade ilícita. Passamos a investigar e constatamos que, de fato, haviam fortíssimos indícios do tráfico e que o estúdio de bronzeamento realmente seria de fachada usado por eles”, afirmou a delegada Alexandra Santos.

Além do casal, apontados como os comandantes do tráfico de drogas nas duas cidades, a operação efetuou a prisão de mais dois homens, três mulheres e apreendeu 23kg de drogas. O que chama a atenção é que ao longo da investigação, iniciada há um ano, identificou uma majoritária participação feminina. 

“Durante esse um ano de investigação ocorreram cinco prisões, quatro delas de mulheres e uma de homem. Hoje eram dez mandados de prisão, cinco de mulheres e cinco de homens. Muitas buscas também em residências de mulheres. Temos observado que as mulheres não só estão se igualando, como ultrapassando nessa questão do tráfico”, destacou a delegada. 

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Histórico familiar

Outro ponto verificado pelos investigadores foi a “tradição familiar no tráfico”. De acordo com a Depre, parentes próximos dos principais alvos da operação também possuem um histórico de envolvimento com a criminalidade.

“O principal alvo possuía vários parentes já com envolvimento no tráfico. A mãe já foi presa, a tia foi presa na data de hoje, a avó já foi presa há dez anos atrás quando contava com 70 anos de idade, então vemos que vem se perpetuando essa tradição do tráfico. A esposa também tem vários familiares também com envolvimento no tráfico", pontuou Alexandra Santos.

A ação policial contra o tráfico contou com a participação de cerca de 130 policiais, entre policiais civis das mais diversas unidades policiais do Estado, Polícia Militar, além dos Núcleos de Operações com cães da PCPI, Polícia Civil do Maranhão, Polícia Rodoviária Federal e Guarda Civil Municipal de Teresina.

Breno Moreno
[email protected]

Imprimir