Cidadeverde.com
Vida Saudável

Aprenda como escolher o shampoo ideal e evitar a caspa

Imprimir

 

Foto: Freepik

 

Passar condicionador na raiz do cabelo e lavá-lo com água quente podem contribuir para piorar o quadro de caspa porque estimulam a produção de oleosidade. A principal causa da descamação do couro cabeludo é a dermatite seborreica, doença crônica em que as glândulas sebáceas não funcionam corretamente. Embora não tenha cura, é possível amenizar os incômodos com o uso de produtos específicos e outros cuidados no cotidiano.

Segundo a médica Andréa Bauer, a condição pode se agravar por diversos motivos, a exemplo da temperatura elevada da água durante o banho. Além disso, o estresse e o uso de alguns medicamentos também contribuem para a dermatite seborreica, aumentando a incidência da descamação em diversas partes do corpo.

“Apesar de a caspa não ser causada por má higiene, é necessário manter uma rotina saudável de lavagens do couro cabeludo, pois o acúmulo de oleosidade e resíduos tende a agravar o problema”, afirma a especialista.

“A dermatite seborreica é associada a um fungo que habita o couro cabeludo. Então, o ideal é utilizar shampoos que tenham ativos com ação antifúngica, como o climbazol, o cetoconazol e o piritionato de zinco”, detalha. Em casos mais severos, é indicado o uso de produtos com ácido salicílico para controlar a produção do sebo.

É importante evitar ainda o uso de produtos oleosos na raiz dos cabelos. Cremes de pentear, silicones e óleos finalizadores, por exemplo, devem ser aplicados apenas nas pontas dos fios. Vale lembrar que a pessoa com dermatite seborreica também pode sofrer com descamações em outras áreas, como nas orelhas, entre as sobrancelhas, nas laterais do nariz e abaixo das mamas.

Ainda que seja popularmente chamada de caspa, outros problemas podem desencadear a descamação do couro cabeludo e exigem outros cuidados. Quem sofre com alergias e psoríase, por exemplo, pode ter o quadro agravado em momentos de crise ou após o uso de alguma substância específica. Portanto, a recomendação é procurar um dermatologista para descobrir a causa e o melhor tratamento para o problema.

 

Da Redação
[email protected]

Imprimir