Cidadeverde.com
Últimas

Itália vai pagar até R$ 75 mil a quem se mudar para ilha da Sardenha; veja os requisitos

Imprimir

Foto: Google Maps

O governo da ilha da Sardenha, na Itália, aprovou um programa de transferência de renda às pessoas que decidirem se mudar para a região. Quem aceitar pode ganhar até EUR 15 mil (R$ 75,7 mil).

A charmosa ilha é a segunda maior do Mediterrâneo, e suas praias de água azul-turquesa somadas à culinária italiana atraem milhares de turistas no verão europeu -grande parte deles, aliás, vinha da Rússia, alvo de sanções do Ocidente desde a invasão da Ucrânia. A ilha também abriga mansões de alguns poderosos; entre eles, o ex-primeiro-ministro do país Silvio Berlusconi.

Quando o céu se fecha e o calor vai embora, porém, a região se esvazia e fica quase isolada. A Sardenha tem cerca de 1,6 milhão de habitantes, apesar de sua área de mais de 24 mil quilômetros quadrados (o equivalente a quase três vezes a região metropolitana de São Paulo.

A ilha é uma das áreas com mais pessoas centenárias no mundo, segundo o livro dos recordes. Os jovens da região, por outro lado, buscam emprego em outras áreas italianas ou no exterior, o que contribui para a diminuição e para o envelhecimento da população local. Para reverter esse cenário, o governo reservou EUR 45 milhões (R$ 227 milhões) para subsidiar a chegada de novos moradores. A informação é da emissora Euronews.

Mas quando a esmola é demais, o santo desconfia (e pode desconfiar). Para ser um dos beneficiados no programa, o candidato deverá se mudar para um dos municípios da Sardenha com população inferior a 3.000 pessoas. A quantia recebida -não, necessariamente, de EUR 15 mil- deverá ser usada para comprar ou reformar uma casa, e a subvenção não pode exceder metade do gasto total.

Além disso, o beneficiário precisará morar na nova propriedade em tempo integral e deve se registrar como residente permanente em até 18 meses após a chegada à região -portanto, esqueça a ideia de aderir ao programa no verão e sair logo no inverno.

O presidente da Sardenha, Christian Solinas, pretende que o programa incentive estrangeiros a se mudarem para a ilha e estimule aqueles moradores locais a continuarem na região.

"Graças a essas contribuições, a Sardenha se torna um terreno fértil para aqueles que se mudam para lá ou decidem construir uma família", disse. "Não pode haver crescimento sem uma real valorização do interior e das zonas mais desfavorecidas. Então, criamos as condições para que os jovens decidam ficar e desenvolvam a economia dos territórios mais frágeis."

Padrões semelhantes são frequentes em várias outras cidades da Itália. Nos últimos anos, proprietários e governos de cidades pequenas do país começaram a anunciar casas por apenas 1 euro -as propriedades, na maioria das vezes, foram herdadas de idosos que morreram sem ter família por perto.

A população da Itália está envelhecendo. No ano passado, 24% da população do país tinha mais de 65 anos, segundo o Banco Mundial. A média de idade hoje na nação europeia é de 46 anos -em 2050, projeta-se que será 51.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir