Cidadeverde.com
Política

"Querem me calar”, diz Lourdes Melo após ser impedida de falar no Grito dos Excluídos

Imprimir

A candidata ao governo Lourdes Melo (PCO) foi impedida de falar durante o Grito dos Excluídos na manhã quarta-feira (07), na Avenida Marechal Castelo Branco. Ela e o candidato a vice na chapa do PCO, Ronaldo Soares, queriam usar o microfone durante o ato, mas os organizadores tentaram conter a investida da dupla. 

Por causa da situação, houve um princípio de tumulto entre os participantes do ato. 

A organização do evento havia informado que, por questão jurídicas e do período eleitoral, nenhum candidato poderia fazer falas durante a ação. 

Em entrevista ao Cidadeverde.com, Lourdes Melo disse acreditar que o Grito do Excluídos é um espaço para que todos possam expressar as suas opiniões e que teve o seu direito de expressão ferido. 

“Não me deixaram falar, querem me calar mais uma vez. Hoje seria um dia de liberdade, para o povo excluído falar de todos os problemas, da fome, dos preços caros, mas o movimento organizado quiseram me calar. Não deixaram eu falar, então, fica aqui o meu protesto pela liberdade de expressão, pelo direito de todos se expressarem”, disse Lourdes Melo. 

 

Ildebrando Pires, um dos organizadores do Grito do Excluídos, explicou que todos os movimentos sociais envolvidos na ação fizeram um acordo para que nenhum candidato realizasse falas durante a ação. 

Ele também acrescentou que além de Lourdes Melo, outros candidatos tentaram fazer uso da fala, mas foram impedidos. 

“Não temos nenhuma alegria em criar situações que dificultem as expressões de quem quer que seja. Mas, nesse momento de conjuntura ameaçadora, era preciso tomar esse cuidado e essas organizações construíram esse acordo”, argumentou.

 


Paula Sampaio 
[email protected]

 

Imprimir