Cidadeverde.com
Política

Ciro anuncia licença da Casa Civil para reforçar campanha no Piauí

Imprimir

O ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), confirmou que irá se licenciar do cargo na próxima segunda-feira (26) para se dedicar à última semana de campanha eleitoral. A intenção do líder político é reforçar não apenas os palanques de Silvio Mendes (União Brasil) e Joel Rodrigues (PP), mas também o de Jair Bolsonaro (PL) no estado.  

“Pedi autorização do presidente para me afastar na próxima semana para ficar totalmente dedicado à campanha dele e do Sílvio aqui no Piauí. Então acredito que na próxima semana vamos ficar aqui no estado [...] para que eu possa focar completamente na campanha”, confirmou o ministro em entrevista ao Jornal do Piauí nesta quinta-feira (22). 

Embora avalie que a campanha de Sílvio Mendes esteja bem consolidada, Ciro entende que é importante, sobretudo, nos dias que antecedem o pleito, intensificar as ações junto ao eleitorado. A meta do grupo de oposição é vencer a eleição com ampla vantagem nos principais colégios eleitorais do estado. 

“Acho que já é uma eleição bem consolidada para o Silvio, ele vai ter uma maioria aqui acima de 150 mil votos na capital, uma maioria estrondosa em Parnaíba e nas grandes cidades do Piauí. nas pequenas cidades temos um lado e o governo tem outro, acho muito difícil se reverter”, destacou o progressista.

Outra meta é impulsionar a campanha de Joel Rodrigues, que disputa uma vaga ao Senado contra o ex-governador Wellington Dias (PT). “A grande aposta, e que eu acredito, é a eleição do Joel, que subiu 16 pontos em poucos dias. Tenho conversado com os institutos de pesquisas, a eleição se resolve agora nos últimos dias , e tenho uma aposta que o Joel será o maior fenômeno da política do Piauí”, afirmou. 

Afastado temporariamente do ministério, Ciro Nogueira também pretende reforçar a estrutura de apoio a Jair Bolsonaro no estado. O objetivo é que o presidente tenha o dobro de votos que teve no Piauí em comparação ao que obteve na corrida presidencial de 2018. 

“Acho que um número para a gente trabalhar aqui, que seja exequível, é o presidente ter acima de 30% no Piauí, quase o dobro do que ele teve na eleição passada. Ele está com esses índices em alguns estados. A campanha nacional trabalha para o Bolsonaro ter no Nordeste acima de 30%”, explicou o ministro. 

 

Breno Moreno
[email protected]

Imprimir