Cidadeverde.com
Esporte

Palmeiras vira sobre Botafogo e abre inédita vantagem de 10 pontos no Brasileirão

Imprimir

O palmeirense já está em contagem regressiva para comemorar o 11° título do Brasileirão. Matematicamente, faltam 18 pontos, mas a taça pode vir com menos.

Foto - Cesar Greco - Palmeiras

Nesta segunda-feira, apresentando um futebol imponente, não se intimidou com a boa fase do Botafogo, buscou a virada por 3 a 1 no Engenhão e abriu inédita vantagem de 10 pontos sobre o Internacional, segundo colocado (63 a 53).

Foi a quarta vitória seguida na competição do Palmeiras, que pode ser campeão sem depender da concorrência com três rodadas de antecedência. Por enquanto, a partida mágica para nova volta olímpica seria diante do Fortaleza, dia 2 de novembro, no Allianz Parque.

Mas há possibilidade de o time antecipar a festa pela sequência de jogos pela frente. Os próximos quatro oponentes estão do 13° lugar para baixo e três lutam contra a queda: Coritiba, Atlético-GO e Avaí. O São Paulo, decepcionando no Brasileirão, aparece no meio desta sequência.

Mesmo com início arrasador, o Palmeiras levou um susto quando Tiquinho Soares acertou belo chute e abriu o marcador. Gustavo Scarpa e Mayke, a surpresa de Abel Ferreira no meio-campo, colocaram ordem no marcador ainda na primeira etapa. E Dudu definiu na fase final.

Invicto há 13 rodadas e sem perder como visitante no Brasileirão, o Palmeiras entrou em campo ciente da derrota do então vice-líder Fluminense e com a possibilidade de abrir vantagem inédita de 10 pontos.

Para conter a euforia do Botafogo, com resultados positivos nas últimas quatro partidas, Abel Ferreira fortaleceu o lado direito com Marcos Rocha e Mayke juntos.

Ainda sob o fumaceiro da festa dos botafoguenses, o Palmeiras partiu para o ataque, mostrando que seria ofensivo no Engenhão mesmo com menos peças de frente. Postado no campo de ataque, foi logo assustando com Gustavo Scarpa, Rony e Zé Rafael, carimbando a trave.

Em menos de 15 minutos o líder já merecia uma sorte melhor e vantagem no marcador tamanha a superioridade. Repetia o futebol avassalador dos 4 a 0 do primeiro turno.

Weverton era mero espectador, até vir o castigo. No primeiro lance ofensivo botafoguense, Saravia rolou para Tiquinho Soares bater de primeira, sem chances de defesa.

A festa durou poucos minutos. Após consulta ao VAR, Wilton Pereira Sampaio marcou toque de mão de Gabriel Pires na área e pênalti. Scarpa assumiu a cobrança e bateu com precisão. Empate que deixou o jogo quente e agradável, com equipes abertas no famoso lá e cá.

A virada palmeirense veio ainda na primeira etapa. Piquerez deixou Saravia no chão em linda jogada individual e cruzou para Mayke marcar. Dudu estava impedido, mas não participou no lance e o VAR confirmou o gol.

O ímpeto ofensivo do Palmeiras seguiu no começo do segundo tempo, com o diferencial de os jogadores abusarem da vontade de servir um companheiro melhor colocado. Marcos Rocha, Scarpa e Rony apareceram bem e não finalizaram, optando pelo passe que acabou saindo errado.

O Palmeiras dava show de coletividade. Atacava bem pelas laterais e não deixava o Botafogo respirar. Mayke perdeu cara a cara. Logo depois, em nova roubada no meio, Rony serviu para Dudu marcar seu oitavo gol em duelos contra o Botafogo e encaminhar a vitória.

Como vem sendo recorrente nos jogos do Palmeiras, mais uma vez a equipe teve de terminar uma partida com peça a menos, por causa de expulsão de Zé Rafael. O cartão vermelho irritou Abel Ferreira. O português protestou e também virou desfalque ao receber o terceiro amarelo.

Com vantagem enorme, o técnico colocou jogadores descansados para evitar o sufoco do Botafogo, repleto de peças ofensivas após a expulsão. Fechou a casinha e festejou o 18° triunfo em 29 rodadas.

Depois de encarar com maestria a sequência dura contra os times grandes, o Palmeiras agora vai encarar duas equipes lutando contra a degola.

Na quinta-feira hospeda o Coritiba, às 19 horas, e na segunda visita o Atlético-GO, às 18h. Murilo, vetado no Engenhão por causa de uma virose, deve reforçar a equipe no Allianz Parque.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir