Cidadeverde.com
Esporte

Novas gerações de Espanha e Alemanha podem ameaçar seleção nacional?

Imprimir

Foto: Lucas Figueredo/CBF 

Por vezes, muito mais do que ser imparcial na análise da seleção nacional, os torcedores acabam imaginando como as principais seleções poderão ameaçar o favoritismo do Brasil. Acaba sendo isso o que acontece com seleções com uma história de sucesso em anteriores Copas do Mundo de futebol, como é o caso de Espanha e Alemanha. Mas será que essas potências do futebol europeu poderão realmente ameaçar essa nova geração brasileira, cheia de talento?

Bastará fazer uma rápida busca no site de apostas Copa do Mundo para se perceber que a seleção brasileira, à medida que essa grande competição se está aproximando, acaba sendo a grande favorita para o principal título do futebol mundial. No entanto, fará todo o sentido analisarmos, sobretudo, as novas gerações de duas potências que poderão já surpreender nessa Copa do Mundo, podendo até ser ignoradas por alguns analistas de momento.

Essa geração da seleção espanhola é suficientemente forte? 

Com a eficácia e qualidade apresentadas pelos jovens talentos do Barcelona – com destaque para Gavi e Pedri – as atenções nessa pré-análise da Copa do Mundo do Qatar estão ficando voltadas para a seleção “roja”. A verdade é que, com a renovação do elenco ainda em curso e comandada por Luis Enrique, se espera que a seleção espanhola esteja, em cada nova fase final, se apresentando a um nível muito superior.

Apesar de ainda contar com jogadores com alguma idade, como Piqué, Alba, Busquets e até Morata, a verdade é que o novo talento do futebol espanhol poderá já se apresentar como uma ameaça rival aos grandes favoritos, pensando logo na seleção brasileira. Restará perceber se essa mistura entre experiência e talento jovem puro poderá ser suficiente para que a Espanha possa sonhar com uma chegada na final. Até porque, nesse momento, os jogadores do Real Madrid parecem ter perdido alguma de sua importância no seio dessa seleção.

Como essa geração da Alemanha poderá responder nesse enorme palco?

De fato, não é só a geração espanhola que está no meio de uma renovação profunda de seu elenco. Com a geração vencedora da Copa do Mundo 2014 praticamente toda de fora do elenco, o trabalho de Low (que irá sair no fim dessa Copa) já está sendo voltada para a renovação. Porém, bem diferente do que está rolando com a seleção espanhola, a qualidade geral do talento espanhol parece estar vários pontos acima do que se está verificando na seleção alemã.

Com jogadores no ataque que acabam por não convencer, com destaque para jogadores como Werner ou Havertz, a verdade é que, talvez pela primeira vez desde há duas décadas, essa seleção alemã está muito longe de ser considerada uma das claras favoritas para essa Copa do Mundo. Ainda assim, e mesmo com a alegada falta de talento na seleção alemã, se espera que muitos jogadores do Bayern se apresentam ao melhor nível nessa seleção, com especial destaque para talentos jovens como Upamecano ou Musiala. Com certeza seria um erro riscar, desde logo, uma das gerações com maior sucesso da história do futebol.

 


Da Redação
[email protected] 

Imprimir