Cidadeverde.com
Cidades

Suspeito de estupro, família reconhece corpo de idoso achado morto em sítio

Imprimir

Foto: Renato Andrade / Cidadeverde.com 

A família de Raimundo Nonato Sousa, 64 anos, suspeito de estuprar uma menina desde os 4 anos, esteve no Instituto de Medicina Legal (IML) na manhã desta quinta-feira (27), zona Sul de Teresina, e reconheceu o corpo encontrado em um sítio na zona Leste como sendo do idoso. O reconhecimento foi feito através de foto. 

No entanto, funcionários do IML ainda precisam que a família leve até o Instituto alguma prova material para que os peritos possam comprovar que é o idoso. Devido o grau de putrefação, os funcionários do IML acham inviável confirmar a identidade comparando com uma imagem de quando ele era vivo. 

Familiares que estavam no local não quiseram conversar com a imprensa, mas afirmavam a todo momento para a atendente do IML que o corpo era do idoso pelas características dos dentes e os poucos pelos na face. 

“Mas isso não é suficiente. É preciso que eles tragam pelo menos o RG dele para podermos comparar as digitais com a do cadáver. Caso contrário, não podemos confirmar a identidade. E, sem essa confirmação, ele será sepultado como indigente”, ressaltou uma funcionária do IML. 

A causa da morte ainda não foi identificada porque, segundo o IML, os peritos não fizeram a perícia no corpo até a publicação desta reportagem. Segundo apurou o Cidadeverde.com no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o homem pode ter morrido de causas naturais. 

Suspeito de abusos 

O idoso foi detido e levado à Central de Flagrantes de Teresina no dia 19 de outubro de 2022 suspeito de abusar de uma adolescente dos 4 anos até os 16 anos. Segundo a família da vítima, que teria sido abusada por 12 anos, o idoso é marido da avó da adolescente e o crime acontecia quando ela morava com eles.  

Ameaçada pelo idoso para não contar sobre os abusos, o crime só foi descoberto quando a família teve acesso ao celular da adolescente, que foi morar com o pai biológico, e viu as mensagens que o idoso mandava para a menor.

Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir