Cidadeverde.com
Esporte

Zagueiro Marí passa bem após cirurgia e ficará dois meses afastado dos gramados

Imprimir

O zagueiro espanhol Pablo Marí, ex-jogador do Flamengo, foi submetido a uma cirurgia nesta sexta-feira, após ser alvo de um ataque a facas num supermercado na Itália, na quinta.

De acordo com o Monza, atual clube do atleta, a operação foi bem-sucedida e ele deve ficar afastado dos gramados por dois meses.

O procedimento cirúrgico reparou dois músculos das costas atingidos pelas facadas sofridas na quinta. "A operação correu bem", reforçou o clube italiano, que avisou que o jogador deve permanecer por "dois ou três dias" ainda internado no hospital, em Milão. 

Depois ele iniciará processo de recuperação, que deve levar dois meses até a retomada das atividades físicas em campo.

O ataque, ainda em investigação, atingiu Marí e mais quatro pessoas em uma unidade do Carrefour, dentro de um shopping, na cidade de Assego, nos arredores de Milão. Uma das vítimas, um caixa de mercado, teria morrido, de acordo com as autoridades locais.

O zagueiro, ex-Flamengo, contou ter visto cenas assustadoras durante o ataque. "Hoje, eu tive sorte, porque vi uma pessoa morrer na minha frente", disse ao jornal La Gazzetta dello Sport.

Marí também relatou que estava no local acompanhado da mulher empurrando o carrinho de bebê com seu filho quando sentiu uma forte dor nas costas. Depois, o jogador viu o autor do ataque acertar uma facada no pescoço de outra vítima.

Nesta sexta, o CEO do Monza, Adriano Galliani, disse que o elenco do time ainda estava em choque com o episódio.

E avisou que vai pedir o adiamento da próxima partida do clube, marcada para segunda-feira, contra o Bologna, pelo Campeonato Italiano - Mari pertence ao Arsenal, mas está emprestado ao clube da Itália que pertence ao ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

O autor do ataque é um italiano de 46 anos, que sofre de transtornos mentais. Ele foi detido pela polícia local. Segundo os investigadores, um ato terrorista está descartado. A motivação do ataque ainda é desconhecida. A faca usada na ação estava na prateleira do mercado.

A rede Carrefour se manifestou através de nota, em que reitera "a sua máxima proximidade aos funcionários e clientes envolvidos no ataque e às suas famílias" e confirmou que a polícia foi imediatamente chamada e que o criminoso foi detido. 

A empresa também ativou imediatamente "um serviço de apoio psicológico para todos os funcionários direta ou indiretamente envolvidos no incidente".

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir