Cidadeverde.com
Política

Moraes cobra PRF sobre efetivo no 1º turno das eleições

Imprimir

Foto: Alejandro Zambrana/Secom/TSE

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), cobrou da PRF (Polícia Rodoviária Federal) informações também sobre o efetivo mobilizado no primeiro turno das eleições de 2022. Na sexta-feira (4), o magistrado já havia demandado informações sobre as ações da corporação durante o segundo turno, realizado no último domingo (30).

O documento pede o detalhamento por região e Estado, e determina um prazo de 48 horas para o fornecimento das informações. O período anteriormente determinado era de 28 de outubro até 4 de novembro, incluindo também as atividades nos bloqueios de estradas do país, encerrados na sexta-feira (3), segundo a PRF, e agora fica mais amplo.

"As informações requisitadas deverão ser discriminadas por Região e Estado - inclusive quanto aos eventuais recrutamentos e lotações de origem dos policiais - realizados para cada um dos turnos das eleições de 2022", diz o despacho.

O UOL mostrou que a PRF cortou em mais de um terço o número de agentes que trabalharam no domingo (30) na última segunda-feira (31). Segundo os dados, o efetivo que fiscalizou ônibus no dia da votação foi de 3.664 agentes em todo o país.

No dia seguinte, quando mais de 200 trechos de rodovias já estavam bloqueados em reação ao resultado das urnas - que deu a vitória a Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL) -, o número de policiais em serviço operacional caiu para 2.310, uma redução de 36,95%.

Moraes também cobrou da PRF a apresentação de "todas as informações disponíveis sobre a identificação dos líderes, em especial a identificação dos proprietários dos veículos utilizados" nos bloqueios nas estradas. Os dados deverão ser usados pelo ministro para avaliar os casos e decidir pela aplicação de multa judicial, que podem chegar a R$ 100 mil por hora.

Resultado da eleição. Lula derrotou o atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), e está eleito pela terceira vez. O petista teve numericamente a maior votação da história -o recorde anterior era dele mesmo, em 2006, com 58.295.042 votos.

Esta é a quinta eleição do PT para a chefia do país -sempre em segundo turno- e a primeira vez que um presidente no exercício do mandato perde a reeleição. A apuração do 2º turno da Eleição 2022 começou às 17 horas, após o fechamento das urnas em todo o Brasil.

 

 

Fonte: Folhapress

Imprimir