Cidadeverde.com
Política

Em posse, Wellington Dias afirma que combaterá ilegalidade no Bolsa Família

Imprimir
  • wdias1.jpg Roberta Aline/Ascom
  • wdias2.jpg Roberta Aline/Ascom
  • wdias3.jpg Roberta Aline/Ascom
  • wdias4.jpg Roberta Aline/Ascom
  • wdias5.jpg Roberta Aline/Ascom
  • wdias6.jpg Roberta Aline/Ascom
  • wdias7.jpg Roberta Aline/Ascom
  • wdias8.jpg Roberta Aline/Ascom

 

O senador Wellington Dias (PT) tomou posse na tarde desta segunda-feira (2) como ministro do Desenvolvimento Social. A solenidade aconteceu em Brasília e reuniu dezenas de autoridades. Em seu discurso, o ministro destacou que vai reformular o Bolsa Família e para isso anunciou a atualização do cadastro único. Dias afirmou ainda que só vai pagar o benefício para quem se encaixa nos critérios. 

“Vamos reformular o Bolsa Família e na situação que se encontra não é uma tarefa fácil. Abriremos a atualização do cadastro único integrados com municípios. Sei que muitas pessoas foram induzidas ao descaminho e vamos dar oportunidade de quem não preenche os requisitos a pedir desligamento do programa. Só vamos pagar para quem legalmente se encaixa. Vamos iniciar uma busca ativa em todo o país”, afirmou.

O ministro garantiu que, durante o cadastro único, não fará pente fino nas famílias. “Vamos fazer uma atualização do cadastro e nada de pente fino. Vamos fazer é política pública bem feita e retomar a integração com estados e municípios. 90 milhões estão no cadastro único e parte recebe a transferência de renda. 33 milhões estão passando fome", disse.

Pobre no orçamento

Wellington Dias voltou a firmar o compromisso de colocar o pobre como prioridade, atendendo a uma determinação do presidente Lula.

“Colocar o povo no orçamento e de forma humanitária colocar o pobre no orçamento. Ninguém largar a mão de ninguém. É um compromisso. Para esta missão que já começou quero fazer um agradecimento ao Congresso Nacional pela votação da emenda. Vamos poder colocar o pobre no orçamento e nas prioridades. É a vez de sua excelência o povo. O MDS vai continuar ao lado daqueles que mais precisam. O direito de tomar café, almoçar e jantar. A nossa missão é tirar o Brasil do mapa da fome pela segunda vez sob o comando do presidente Lula.

Foto: Roberta Aline/Ascom

Homenageou a mãe Teresinha Dias

Emocionado, relembrou a infância e disse que a mãe é uma mulher guerreira. “Ela para estudar teve que morar na casa de outros”, disse, ao lembrar da posse de Lula no domingo.

“Ontem eu chorei e não só uma vez. Foi um dia de muita emoção. A gente volta a ter um presidente da República que tem o combate à fome e trabalhar para os que mais precisam. Temos um presidente que viveu tudo que viveu e é um dos maiores líderes do Brasil e do planeta. Isso aumenta a minha responsabilidade e dos que estarão comigo e com ele compondo a equipe”, afirmou.

A esposa e deputada federal Rejane Dias lembrou do caminho percorrido pelo marido como gestor.

“É um chamamento de Deus. Escolheu um ser humano de um coração imenso para uma área que é garantir respeito e inclusão social para os que mais precisam. Quem me conhece sabe da nossa luta pela inclusão das pessoas com deficiência”, disse a deputada, destacando que o tempo de trevas acabou.

“O tempo de trevas já passou. Vamos viver momentos de mais inclusão. Você não vai apenas assumir o ministério, você vai assumir o ministério da Justiça Social. Um líder e um político muito hábil. São 33 milhões de brasileiros que estão à sua espera. É uma área muito simbólica. O combate à pobreza precisa ser atacado com toda garra e toda competência.

O ministro da Educação, Camilo Santana, reforçou que Wellington Dias tem a missão de resgatar a dignidade do povo brasileiro.

“Você tem uma missão importante de resgatar a dignidade do povo brasileiro que está passando fome. A nobre missão é a sua de garantir que os brasileiros façam suas três refeições por dia. É um homem de coração enorme, sensível”, afirmou.

A solenidade reuniu dezenas de autoridades como Rui Costa (Ministro da Casa Civil); Camilo Santana (Educação); o secretário executivo do MDS, Osmar Junior; os ex-governadores do Piauí Hugo Napoleão, Wilson Martins e Regina Sousa, além dos governadores Ibaneis Rocha (Distrito Federal), João Azevedo (Paraíba), Rafael Fonteles (Piauí), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), Jerônimo Rodrigues (Bahia) e Elmano de Freitas (Ceará).

Marcaram presença ainda o prefeito de Teresina, Dr. Pessoa; a ministra do Esporte Ana Mozer; Eduardo Suplicy; a presidente do PT, Gleisi Hoffmann; o ministro do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira; e a deputada federal Rejane Dias.

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir