Cidadeverde.com
Geral

Preso por apedrejar e atropelar ex-namorada esfaqueou vítima no Ceará

Imprimir

Imagem reprodução vídeo

 

Alisson Rogério, preso por apedrejar e atropelar ex-namorada em Teresina, fez uma vítima no Ceará. Maria Érica Lima, 23 anos, relatou ao Cidadeverde.com que foi esfaqueada na região do tórax em maio de 2022, ou seja, sete meses antes do crime na Capital do Piauí. Assim como a segunda vítima, ela também não registrou boletim de ocorrência, mas encoraja outras mulheres vítimas a não perdoarem nenhum tipo de violência. 

"Ao ver o vídeo do que ele fez com essa moça eu senti na pele o que ele fez comigo. Tenho uma filha de oito anos e só penso como ela estaria agora se ele tivesse me matado. Não denunciei na época, mas se for pra acrescentar alguma coisa, eu faço boletim de ocorrência. O que digo é que as mulheres vítimas de violência não devem perdoar o agressor que diz que vai mudar, mas não muda e só piora. Quando eu resolvi terminar com ele já tinha deixado meu olho roxo e desacordada duas vezes com um 'mata-leão'", conta Maria Érica que mora em Uruburetama-CE, cidade onde ocorreu o crime. 

Ela conta que manteve um relacionamento de nove meses com Alisson. Maria Érica disse que pôs fim no namoro após descobrir que ele era usuário de drogas. Após cinco dias de perseguição, ela foi esfaqueada na região do tórax com a faca da casa da mãe. 

"Ele é usuário de cocaína e quando eu descobri não quis mais, mas ele não aceitou. Passou cinco dias me perseguindo, ia aonde eu estava. Ele é frio e sufocante, não tem quem diga que ele vai fazer algo, mas é capaz de matar. Digo que tive dois livramentos: o primeiro foi que a faca que ele pegou era pequena e segundo é que estava escuro. A facada foi abaixo do pescoço e acima no peito. Se tivesse pego em alguns desses lugares, tinha morrido. A médica disse que foi um milagre", desabafa Maria. 

Ao Cidadeverde.com, ela ainda relembra o dia em que foi vítima da tentativa de feminicídio em pleno Dia das Mães. 

"Tinha ido a um banho e passei o resto do dia na casa de uma vizinha. Ele ficou o tempo todo incomodando e saí fora porque estava na casa alheia. Fui pra casa e ele entrou também e foi pra cozinha, pegou uma faca e escondeu. Com medo, fiquei só na sala e quando o empurrei pra fora de casa até a calçada, fechei uma parte do portão e ele já me esfaqueou olhando na minha cara. Antes disso, ele tinha dito aquela velha frase que se eu não fosse dele, não seria demais ninguém", relembra a vítima. 

Segundo ela, dias após ter sido esfaqueada, viu que ele havia enviado várias mensagens com xingamentos.

"Mandou áudios me xingando, mandou foto de arma também e mensagens tentando me culpar. Ele é muito frio e acredito que não vai parar. Ontem (17), ele me mandou uma solicitação de amizade no Facebook", diz Maria Érica. 

PRISÃO

A prisão de Alisson Rogério ocorreu nesta quarta-feira (18) após ele agredir a pedradas e tentar atropelar a ex-namorada. a ex-namorada e atropelá-la no bairro Gurupi, zona Sudeste de Teresina.

O vídeo gravado pela testemunha no dia do crime mostra a mulher e o homem em uma discussão, quando ele pega uma pedra e ataca a vítima, que cai na rua desacordada. Ele então entra no veículo, e atropela a vítima. O crime ocorreu no dia 18 de dezembro.

Segundo a delegada Nathalia Figueiredo, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a vítima de 21 anos relatou que ela e o suspeito, de 24 anos, namoraram por cinco meses e terminaram devido aos ciúmes e por ele ser uma pessoa violenta.

 

 


Graciane Araújo
[email protected]

Imprimir