Cidadeverde.com
Geral

Piauí fortalecerá estratégias para garantir qualidade da educação

Imprimir

Fotos: Divulgação

 

O Piauí tem avançado em diferentes frentes da educação com investimentos que resultam na elevação dos índices de aprendizagem nos ensinos fundamental e médio, a universalização do ensino superior, a ampliação das taxas de aprovação de estudantes no Enem e valorização dos professores. Para 2023, o governador do Piauí, Rafael Fonteles, apontou áreas específicas de atuação da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), que serão focadas, dentre elas, no fortalecimento do ensino técnico, escolas de tempo integral e maior integração com os municípios para o avanço do ensino básico e alfabetização na idade certa.

Segundo o secretário de Estado da Educação, Washington Bandeira, o Piauí já tem resultados positivos e o planejamento se pautará em acelerar as garantias da educação básica com equidade e sucesso, com foco na aprendizagem dos estudantes.

“As nossas principais metas estão muito claras, que são: chegar ao primeiro lugar do Ideb do ensino médio, além de fortalecer o ensino de tempo integral, mais que dobrando a quantidade de escolas de ensino integral; apostar e fortalecer o ensino profissional e técnico, sobretudo voltado para tecnologia da informação (TI), agrotécnica, turismo, energias renováveis; também fortalecer o regime de colaboração com os municípios para a gente também melhorar a qualidade de aprendizagem no ensino fundamental e continuar com o nosso programa de alfabetização na idade certa”, explica o gestor.

Ideb e tempo integral

A continuidade de elevação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) está entre as metas da nova gestão da educação piauiense. A Secretaria da Educação iniciou a implantação do ensino médio em tempo integral em 2008 e hoje oferta o modelo com 96 escolas. No início deste ano, o secretário Washington Bandeira apresentou um plano de universalizar o ensino de tempo integral, prevendo ampliar o número das escolas estaduais distribuídas na capital e no interior do estado que oferecem esse modelo de ensino.

Segundo dados publicados em setembro de 2022, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do Ministério da Educação (MEC), o Piauí avançou no ensino médio. O índice do estado saltou de 3,7, em 2019, para 4,0, em 2021. Para alcançar esses resultados, o plano de governo destaca o desenvolvimento do ensino integral no estado.

O regime de colaboração entre o Governo do Estado e os municípios para os anos iniciais e finais do ensino fundamental público também apresentaram evolução na avaliação. Em 2019, na nota das séries finais, do 6º ao 9º ano, a pontuação saiu de 4,3 para 4,9, superando a meta estabelecida para 2021 que foi de 4,7. Esses resultados garantiram o elevado desempenho do Piauí, que saiu da 14° para a 9° posição no ranking educacional do índice.

Entre as escolas com Ideb acima da média nacional, a gestora do Ceti Governador Dirceu Mendes Arcoverde, Colégio da Polícia Militar do Piauí, em Teresina, Elis Regina, explica que os resultados externos refletem a plena execução do plano pedagógico. “O nosso trabalho na gestão do colégio é feito em parceria com os nossos professores. Os resultados com provas e alunos aprovados nas universidades nos motivam ainda mais quanto ao projeto que estamos desenvolvendo desde 2018. Entre as estratégias para reforçar a execução do plano pedagógico está a revisão de questões, aulões, bancos de dados e toda uma dinâmica trabalhada com os estudantes. Neste ano, queremos aumentar quatro décimos para alcançar 6,5 no Ideb. Estamos motivados com a gestão que se inicia e esperamos que o Piauí acelere para alcançar a posição desejada”, comentou a gestora.

Valorização dos professores

A Secretaria de Estado da Educação vem trabalhando para realizar promoções que impactam diretamente em melhorias salariais. Cerca de 975 professores da rede estadual de educação tiveram suas promoções autorizadas, além do reenquadramento de 1.055 servidores de apoio operacional e administrativo, entre ativos e inativos pelo Governo do Estado no último ano.  Entre 2019 e 2022, 5.263 trabalhadores da Seduc tiveram suas mudanças de nível, classe e padrão assinadas pelo Governo do Estado, garantindo uma melhoria nos seus vencimentos.

O investimento nas formações é verificado nas concessões para afastamento das atividades laborais para que os professores interessados possam cursar mestrado e doutorado. Foram contemplados 230 profissionais da educação básica, integrantes do quadro efetivo da rede estadual, no processo de afastamento para participarem de cursos de pós-graduação stricto sensu.

Investimento em infraestrutura

Os investimentos estão em vários setores, como na infraestrutura de escolas públicas estaduais, que receberam mais de R$ 210 milhões para intervenções em 597 escolas entre construção, reforma e ampliação das suas infraestruturas. Dessas, 200 escolas já foram inauguradas e entregues à população; 122 estão sendo reformas e/ou ampliadas; e 83 encontram-se em manutenção predial.

Os investimentos em educação estão contemplando todo o estado, na capital e interior. É o caso da Unidade Escolar Rodrigues Coelho, localizada na Taboca dos Machados, na Cacimba Velha, zona rural de Teresina, que recebeu investimentos do Tesouro Estadual, com recursos na ordem de R$ 616.953,95, na modernização da estrutura. “Hoje todos na comunidade reconhecem que estamos com uma escola de qualidade e que isso nos deixa muito felizes. A nova escola dará oportunidade para quem quiser crescer”, disse o morador Acrísio Veras, que em breve frequentará a escola.

Em Teresina, uma nova estrutura atenderá os mais de 300 estudantes com a entrega da Unidade Escolar Desembargador Henrique Couto, localizada no bairro Monte Castelo, zona sul de Teresina. “Todos os pais e estudantes pediam muito uma reforma e fomos contemplados com uma nova estrutura de salas, laboratórios, biblioteca, equipamentos e, principalmente, uma quadra poliesportiva. Aqui, a comunidade poderá utilizar a quadra pra diversas atividades”, comemorou a diretora da escola, Keila Maria da Silva Pierot.

Ensino técnico e profissional

A Educação Profissional e Tecnológica (EPT) na rede estadual do Piauí tem desenvolvido programas educacionais inovadores e atualizados, agora previstos na Política Estadual de Educação Profissional e Tecnológica (Peept), por meio da lei nº 7.893/2022.

De acordo com dados da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC), por meio de uma intensa política pública, o estado fechou o ano de 2022 com a oferta de ensino técnico profissionalizante em todos os municípios com mais de 30 mil matrículas. A Fundação Itaú Educação e Trabalho, parceira da Seduc na implementação da educação profissional, coloca o Piauí como estado referência no Brasil, com o maior número de vagas ofertadas ao criar a Política Estadual de EPT.

A qualificação profissional dos estudantes para o mundo do trabalho, bem como a ampliação da oferta, irá alcançar cerca de 8 mil alunos da rede por meio do estágio profissional em 2023. Durante a prática, o aluno vivencia a inserção no mundo do trabalho por meio de situações de aprendizagem realística. Com isso, o aluno desenvolve habilidades técnicas da categoria em exercício.

Universalização do ensino superior

Com êxito na proposta de universalização do ensino superior, o Governo do Estado do Piauí planeja a expansão de novas ofertas de educação à distância nos polos da Universidade Aberta do Piauí (Uapi).

Segundo dados do Instituto Semesp, na 11ª edição do Mapa do Ensino Superior no Brasil, o Piauí é destaque como um dos únicos estados do Nordeste que mantém a média de escolarização (20,8%) acima do percentual nacional (18,1%). Isso significa que os estudantes se mantêm no ciclo da educação básica, para terem acesso a ferramentas que possam garantir a sua inserção no nível superior de ensino. A partir desta política de inclusão, o ensino superior no Piauí chega a 100% dos 224 municípios, por meio da Universidade Aberta do Piauí (Uapi) e do Canal Educação.

Com a finalidade de expandir e interiorizar a oferta de cursos e programas de educação superior no Estado do Piauí, a Uapi atua na oferta do curso de Administração (bacharelado) e está integrada ao Sistema de Universidade Aberta do Brasil (UAB) em parceria com a Universidade Estadual do Piauí (Uespi) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Piauí (Fapepi).

A descentralização de oferta de ensino superior é possível graças à oferta de ensino com o máximo de qualidade. As aulas são disponibilizadas por meio do Canal Educação e os estudantes têm acesso aos prédios do polo que possuem em sua estrutura: a sala de aula, o kit de mediação tecnológica, biblioteca e laboratório de informática.

Segundo a superintendente de Ensino Superior da Seduc, Viviane Carvalhedo, o Piauí tem estratégias e parcerias para continuar avançando na ampliação de ofertas dos cursos superiores em todo o território.

“O ano de 2023 foi iniciado e já formamos a primeira etapa em 60 municípios com estudantes que se graduaram em administração e empreendedorismo. Para os próximos 100 dias, relacionados à pauta de ensino superior no Piauí, temos reforma e construção de quatro polos nos municípios de Jaicós, Luís Correia, Piracuruca e Simões; o lançamento de seleção para coordenador de polo via Seduc; a oferta de novos cursos conectados os objetivos estratégicos do governo e com os arranjos produtivos, como turismo, sistema de informação e energias renováveis, e o início das aulas das universidades públicas nos polos. Tem Piauí acontecendo no Ensino Superior”, detalhou Viviane Carvalhedo.

 

Imprimir