Cidadeverde.com

Mãe de policial assassinado em ônibus no Maranhão pede justiça após morte do filho

Imprimir

Foto: Reprodução

Por Adriana Magalhães 

O velório do policial militar Mazoel da Silva Carvalho, 34 anos, aconteceu na madrugada e manhã desta quarta-feira (14), em Teresina. O corpo do PM foi velado sob forte comoção de familiares e amigos. Uma comitiva da Polícia Militar do Pará (PM-PA) veio ao Piauí prestar a última homenagem ao soldado morto na segunda-feira (13) em um ônibus no município de Santa Luzia do Paruá. O piauiense ingressou na corporação em 2018.

A mãe do PM, a dona de casa Maria de Lourdes, falou com nossa equipe. Bastante emocionada ela pediu justiça.

"O que eu quero é  justiça, que esses irresponsáveis que tiraram a vida do meu filho sejam presos e paguem por isso", disse. 

A mãe disse que foi para a Missa da Misericórdia nos últimos dias e que pediu a Deus que seu filho passasse num concurso aqui no Piauí e pudesse voltar para casa. Até o momento a Polícia Civil do Maranhão apura se a morte de Mazoel em um ônibus interestadual, na BR-316 em Santa Luzia do Paruá, no Maranhão, se tratou de latrocínio. Na ação, foram levados aproximadamente R$ 80 mil dos passageiros além da arma do policial.

Foto: Renato Andrade/ Cidadeverde.com

Ontem (14), Mazoel não ligou para a mãe como costumava fazer toda manhã. Ela disse ter sentido falta, mas decidiu não ligar porque sabia que ele tinha saído de um longo plantão e poderia estar dormindo. 

Logo veio a notícia do falecimento do jovem policial. Mazoel deixa pai, mãe, noiva e cinco irmãos.  

"Ele estava vindo ao Piauí para prestar apoio à noiva. Ela perdeu o pai no domingo. Eles estavam de plano casar ainda esse ano", disse cabo Herculano, chefe imediato do soldado Mazoel.

Mazoel tirou seu último expediente no final de semana. Os colegas de farda que estiveram com ele de sexta-feira a domingo, vieram ao Piauí para se despedir do amigo.

"Viemos de Coronel Poço, que fica a cerca de 700 quilômetros aqui de Teresina prestar a última homenagem a ele. Mazoel era o motorista da nossa viatura. Era um cara humano e preocupado com o próximo", conta o cabo Herculano. 

Foto: Renato Andrade/ Cidadeverde.com

Os colegas definem Mazoel como um bom homem, preocupado com a família. Fato lembrado pela mãe do PM. 

"Nós falávamos todos os dias. Ele era meus braços e minha pernas. O pai dele já é adoentado e era ele que resolvia tudo na minha casa. Ele tava sempre aqui, a cada 15 dias, às vezes um pouco mais, ele vinha nos visitar", recorda a mãe. 

Mazoel saiu do plantão na última segunda-feira (13), às 10h. Por volta de 18h ele embarcou para Teresina.

"Antes de embarcar ele me mandou uma mensagem informando que estava embarcado. E por volta de 1h recebemos a informação da morte dele. Na hora a gente fica em choque, não quer acreditar, pensa que foi só baleado. Eu senti muito a partida dele. Estamos juntos há cinco meses e construímos uma amizade. Somos quatro pessoas dentro da viatura, nosso trabalho é duro e sério, mas temos os momentos de descontração dentro da viatura. Ele vai fazer muita falta para a Polícia Militar do Pará", disse o cabo Herculano. 

O velório de Mazoel foi encerrado às  9h. O corpo do Militar foi levado para o município de Pau D'Arco onde será sepultado. 

  • pm_morto_1.jpeg Renato Andrade/ cidadeverde.com
  • pm_morto_2.jpeg Renato Andrade/ cidadeverde.com
  • pm_morto_3.jpeg Renato Andrade/ cidadeverde.com
  • pm_morto_4.jpeg Renato Andrade/ cidadeverde.com
  • pm_morto_5.jpeg Renato Andrade/ cidadeverde.com
  • pm_morto_6.jpeg Renato Andrade/ cidadeverde.com
Você pode receber direto no seu WhatsApp as principais notícias do CidadeVerde.com
Siga nas redes sociais