Cidadeverde.com
Política

SUS paga folha irregular em hospital de Parnaíba, diz Simepi

Imprimir

O Sindicato dos Médicos do Piauí denuncia irregularidade na folha de pagamento do Hospital Dirceu Arcoverde, em Parnaíba, litoral do Estado. Desde abril, o Simepi possui documentos que comprovariam a existência de favorecimentos financeiros para alguns funcionários dos setores administrativos e da diretoria do hospital.
 
Um dos membros do sindicato, que não ser identificado por já ter sofrido retaliações devido as denúncias, explica que algumas pessoas do setor administrativo recebem repasse de produtividade pago pelo Sistema Único de Saúde - SUS. Esse recurso, no entanto, deveria ser pago somente para profissionais que prestam serviços médicos.
 
Trechos do documento foram enviados por fax para o Cidadeverde.com e demonstram que alguns servidores têm salários variáveis e recebem valores crescentes. Marcos Antonio Santos Silva e Francisco Eudes Souza, por exemplo, trabalham no setor de serviços gerais. No entanto, em maio de 2008, Marcos Antonio recebeu R$ 360, e no mês seguinte recebeu R$ 700. Já Francisco Eudes manteve salário de R$ 415 em ambos os meses.
 
O documento mostra também que o diretor geral do hospital e médico cirurgião, Eduardo Eunico F. Nogueira, estaria recebendo o repasse de produtividade. No entanto, ele cumpre apenas 6 horas de plantão semanal, quando o normal é 24 horas. Em valores, o médico recebeu R$ 5.309,33, R$ 5.164,83 e R$ 3.773,07, correspondente a produtividade dos primeiros três meses de 2009. Já o médico cirurgião Adegildes G. de Melo Araújo, que tem as 24 horas semanais de plantão, recebeu no mesmo período R$ 695,45; R$ 1.318,57; e R$ 1.033,00.  
  
Outra denúncia é a de que o número de servidores que recebem o recurso advindo da produtividade vem aumentando. Em 4 meses, foram incluídos 11 novos funcionários nessa folha de pagamento. Todas as denúncias foram divulgadas no informativo do próprio Simepi.
 
Explicações
A Secretaria de Saúde informou através da assessoria de imprensa que a denúncia não foi formalizada junto ao órgão, o que é necessário para a averiguação por parte da pasta, e que há um decreto do governador Wellington Dias determinado quem são os profissionais que podem receber o recurso de produtividade do SUS.
 
A coordenadora de serviços de apoio do hospital Dirceu Arcoverde, Juliana Linhares Coelho, explica que esse valor de produtividade é referente à Gratificação de Incentivo e Melhoria de Assistência da Saúde (Gimas). "O decreto 63/2006 diz que esse recurso deve ser utilizado para incentivo a profissionais de saúde, independente da função de médico ou enfermeiro. Como nós temos um déficit de pessoal, a gratificação é utilizada para algumas contratações de urgência e emergência, e para profissionais que realizam mais de uma função na unidade", afirma.
 
Quanto ao recurso recebido pelo diretor do hospital, Eduardo Eunico, ela informa que o médico ocupa muitas funções dentro do hospital, além das cirurgias que realiza mensalmente.
 
Nayara Felizardo
(Especial para o Cidadeverde.com)

Tags:
Imprimir