Cidadeverde.com
Geral

Crack vicia se for usado por apenas 6 vezes

Imprimir

 
O Jornal do Piauí realizou nesta terça (1º) um debate sobre uma das drogas mais perigosas e que apresenta crescente penetração no Piauí: o crack. Extraída da coca, mesma planta de onde é extraída a cocaína, a droga tem alto poder de vício e causa um processo longo para a reabilitação.
 
“Se for usado em apenas seis vezes consecutivas, ele torna a pessoa dependente físico e mental. Aí começa a destruição”, descreve o presidente da Fundação da Paz, Célio Cruz, que trabalha com dependentes químicos. Segundo ele, o paciente entra em depressão total e tem o cérebro profundamente afetado. “O crack corrompe a pessoa em todos os sentimentos. O viciado se torna um robô, tem compulsividade para usar a droga. Se ele tiver 1kg de droga, ele não se controla enquanto não usar todo”, afirma.
 

Cruz afirma que há tratamento para a droga, mas que é um processo lento que requer cerca de cinco anos para que a pessoa se reabilite e tenha toda a sua estrutura mental e psicológica de volta.

Elo
Segundo o capitão do Rone, Fábio Abreu, o crack tem atingido as classes média e média-alta de forma marcante em Teresina. “O crack só não tem percentual (de viciados) maior do que o da maconha porque é mais caro”, pontua. Segundo ele, uma pedra do entorpecente é comprado por R$ 10 a R$ 15.
 

 

O militar explica que quando o viciado não tem condição financeira, acaba caindo no crime. “O traficante dá pedra em consignação para que as pessoas tragam furto de roubo. A família começa a perceber quando começa a desaparecer na casa”, explica.

Rota
Segundo o delegado da Polícia Federal Alex Chaves, o crack é um produto derivado da pasta base de coca, geralmente misturada com bicarbonato e água. A droga vem de países como a Bolívia, onde há um grande cultivo da planta, e a Colômbia onde estão os maiores laboratórios de produção. A penetração da droga se dá pelas fronteiras brasileiras.
 

“Em Teresina a droga chega por via terrestre e via aérea”, afirma o delegado. Para ele, nenhuma política sobre drogas será levada a sério sem o apoio de toda a sociedade. “A PF, assim como Polícia Militar e a Polícia Civil, realiza um excelente trabalho no estado, mas quando se prende um traficante, surgem dez. Tem que se procurar cuidar da demanda. Cuidar para que as pessoas não se viciem”, alerta.

Evitar
“A droga chega através do melhor amigo”, alerta Célio Cruz. Segundo ele, o pai tem de ser o melhor amigo do filho; dar normas, regras e ensinar o filho a conquistar e ter os seus limites.

Carlos Lustosa Filho
Tags:
Imprimir