Cidadeverde.com

Sobrado Major Selemérico abrigará Casa de Cultura em Oeiras

O Sobrado Major Selemérico, primeira sede do governo da província do Piauí, está sendo restaurado em Oeiras. O prédio, construído em 1845, será transformado em uma Casa de Cultura e abrigará projetos e eventos culturais da cidade.

O prédio que foi construído pelo então governador da província, Zacarias de Góis, está sendo restaurado pela Secretaria Estadual de Cultura (Secult) em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O secretário estadual de Cultura, Fábio Novo visitou o imóvel nesse sábado (15), juntamente com secretário de Cultura de Oeiras, Stefano Ferreira, quando vistoriou a reforma.  

“O Sobrado Major Selemérico é um prédio importantíssimo para a cidade de Oeiras e para o Estado. O local será uma Casa de Cultura, com oficinas permanentes, podendo até abrigar o projeto Boca da Noite” afirma o secretário estadual de Cultura, Fábio Novo.


 
O prédio construído pelo governador da província para residência e despachos, abriga documentos e objetos da época do império e do início da república. Alguns anos após a mudança da capital para Teresina, em 1852, passou à propriedade particular, pertenceu à família Selemérico e posteriormente, voltou às mãos do Estado, pelo 1º bispo de Oeiras, Dom Expedito Lopes.

Conselho Estadual de Cultura em Oeiras

A imagem primitiva de Nossa Senhora da Vitória, padroeira de Oeiras e do Piauí, retornou à cidade após 50 anos, período em que ficou sob os cuidados da família Portela. Devido à importância histórica da solenidade de reentronização da imagem, que aconteceu na última sexta-feira (14), o Conselho Estadual de Cultura realizou uma sessão solene e extraordinária no município. 

O secretário estadual de Cultura, Fábio Novo, participou da sessão no Cine Teatro de Oeiras e falou da importância da reunião do Conselho Estadual de Cultura na cidade, pois reconhece a identidade cultural não só do município, mas também do Estado. Fábio Novo também anunciou a criação da escola de bandolins de Oeiras, necessária para renovação dos músicos na cidade, assim como acontece com a escola de rabecas de Bom Jesus.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com