Cidadeverde.com

Criança é a primeira paciente atendida na UPA de Oeiras

O Murilo Rafael, de 2 anos e dois meses, foi o primeiro paciente atendido na Unidade de Pronto Atendimento(UPA), de Oeiras, após a inauguração realizada neste sábado, 17. Ele foi um dos 37 pacientes atendidos nas primeiras 12 horas de funcionamento da unidade. Desses, seis foram vítimas de acidentes de moto, tendo um paciente ficado em observação e em seguida, encaminhado para o Hospital Regional Deolindo Couto.

Murilo foi vítima de acidente doméstico, com trauma no membro inferior, ocasionado por uma barra de ferro. Com a presença dos pais, Marcelo Rafael e Francisca Marcilene, a criança deu entrada na UPA por volta das 19h, passou pela Classificação de Risco, e logo foi atendida por um dos dois médicos plantonistas. A dona de casa relata o quanto o ambiente e o atendimento trouxeram tranquilidade a ela e ao filho. “Gostei demais do ambiente. A gente se sente muito melhor aqui, respira aliviado, tranquilo. Não esperava”.

O secretário de Saúde, Francisco Costa, explica que o atendimento é feito conforme a gravidade do caso, e não pela ordem de chegada. “Com a Classificação de Risco na UPA, o atendimento será priorizado pela gravidade. Na recepção, o paciente recebe uma senha, fornece os dados pessoais e passa pelo acolhimento social e de acordo com a gravidade, será definido a ordem de atendimento e dependendo do caso, encaminhado ao Hospital Regional”. 

A UPA já iniciou todos os atendimentos de urgência e emergência 24 horas da região do Vale do Canindé, tendo o Hospital Regional Deolindo Couto como de retaguarda, ou seja, o paciente será regulado para lá, após ter sido atendido pela UPA. Como é o caso do Luiz Pereira, de 46 anos de idade, do município de Floresta do Piauí, que teve fratura na clavícula, vítima de acidente de moto. Os primeiros atendimentos foram feitos na UPA.    

Antes, o usuário ia direto para o Deolindo, como já aconteceu com o Murilo. Sempre que precisava de atendimento de urgência, a Marcilene recorria ao Hospital, como chegou a fazer na noite desse sábado. “Quando cheguei lá, foi orientada a vir pra cá, que é do lado do Hospital, onde se faz o atendimento nos casos de urgência. Tudo foi muito bem explicado”, afirma.

Após o atendimento médico, Murilo foi medicado e feita a higienização na sequela e encaminhado para casa. Tudo em menos de 50 minutos. “Volto para casa tranquila”, afirma a mãe.

As equipes trabalham em regime de plantão 12 horas, sendo que por plantão, são dois médicos, dois enfermeiros, três técnicos de enfermagem, um técnico em radiologia, dois serviços gerais, dois digitadores, um maqueiro e um segurança. A meta é que sejam atendidos 150 pacientes por dia.

A UPA foi inaugurada no final da tarde deste sábado, 17, após cinco anos da autorização da ordem de serviço. A obra teve seu projeto elaborado no segundo governo do Wellington Dias e do então secretário de Saúde, deputado federal Assis Carvalho. Fora investidos mais de R$1,5 milhões, oriundos do Ministério da Saúde e Governo Estadual. 

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com