Cidadeverde.com

Fórum debate gestão em rede e prevenção da gravidez na adolescência em Oeiras

Aconteceu nesta quarta-feira, 18, o I Fórum Municipal de Ações Integradas de Oeiras. O evento, realizado no Centro Diocesano ‘Dom Expedito Lopes’, discutiu a importância da gestão em rede e o fortalecimento das ações de prevenção da gravidez na adolescência no município.

O Fórum foi promovido pela Prefeitura de Oeiras e contou com a participação de secretários municipais, enfermeiros, médicos, psicólogos, assistentes sociais, fisioterapeutas, educadores físicos, fonoaudiólogos, dentistas, coordenadores pedagógicos e outros agentes públicos municipais envolvidos em ações para adolescentes.

O evento foi aberto com a apresentação musical da banda Geração Jovem, composta por estudantes da Escola Municipal Juarez Tapety e do grupo de flautistas da escola Cebolinha. A programação do fórum foi iniciada nesta terça-feira, 17, no auditório da Semed, com oficinas para agentes comunitários de saúde, que atuam nas zonas urbana e rural de Oeiras.

Tiana Tapety, secretária municipal de Educação, diz que o fórum possibilita o planejamento e a integração de ações entre as pastas que compõem a Administração Municipal, favorecendo o uso racional de recursos e melhorando a qualidade da prestação de serviços públicos. “Muitos de nós, que compomos a gestão, não conhecemos o trabalho do outro e deixamos de otimizar tempo e recursos fazendo trabalhos e desenvolvendo ações que poderiam ser pactuadas e integradas com outros setores, deixando a gestão mais eficiente”, argumenta a secretária municipal.

“Decidimos fazer esse fórum para que as secretarias pudessem se integrar e que, dentro desse processo de integração, possamos desenvolver um calendário de ação, onde vamos consorciar nossas ações e aplicá-las de maneira mais efetiva no município, no intuito de adquirir um desenvolvimento mais eficiente em relação a todas as ações que o Poder Municipal presta para a comunidade”, destaca Tiana Tapety.

‘Gestão em Rede para servir melhor’
Ministrante da palestra sobre Gestão Pública em Rede, a pedagoga Osana Moraes considera que o fórum colabora para oferecimento de serviços públicos com mais qualidade no município. “Tivemos a oportunidade de conversar com os agentes públicos de Oeiras sobre gestão em rede e de que forma as secretarias, irmanadas nessa ideia de trabalho articulado e integrado, podem conferir a prestação de um serviço público cada vez mais qualitativo para a comunidade de Oeiras”, pontua a ministrante.
“Percebemos o quanto cada secretário e sua coletividade de colaboradores tem pensado e refletido seriamente sobre isso. Então, discutir gestão em rede ganha importância, porque o povo precisa ser olhado com esse olhar integrado. As condições que carecem de ser estabelecidas em termo de gerenciamento para que suas necessidades sejam alcançadas e supridas precisam ser olhadas nessa perspectiva de rede”, prossegue Osana Moraes.

“A ideia é alargarmos o gerenciamento em rede, que já existe em Oeiras, articulando mais conhecimentos, trazendo novas proposições, construindo novos sonhos, na perspectiva de sempre conferirmos ao povo, o melhor, e a gestão em rede faz parte disso. Sem ela, é impossível se pensar na construção de um serviço integral, que atenda às necessidades do povo em tudo que ele precisa”, finaliza a pedagoga.

Índices apontam crescimento de casos de gravidez na adolescência em Oeiras
Dados disponibilizados pelo Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos, do Ministério da Saúde, apontam que é crescente o número de casos de jovens grávidas em Oeiras, na faixa dos 10 aos 19 anos. Os índices foram apresentados durante o fórum pela pedagoga Ruthneia Costa, que acredita que um trabalho de gestão em rede irá minimizá-los.

“Os indicadores de gravidez na adolescência estão elevados em Oeiras. Têm crescido muito de 2015 para cá. Muitas ações foram feitas, mas não conseguimos diminuir. E esse momento aqui foi um momento de reflexão, de colocarmos os pés no chão e percebermos tudo que caminhamos até agora, porque não conseguirmos diminuir, onde está o nó? Então, estamos reconstruindo um novo caminho para que possamos daqui a alguns meses já ver esse resultado”, defende Ruthneia Costa.

Ruthneia Costa comenta que a prevenção dos casos de gravidez na adolescência deve ser feita ao longo de todo o ano de 2018. “Está sendo feito um planejamento de ações integradas para o ano de 2018, porque temos que nos antecipar ao problema, vendo que ele está crescente. Tomamos duas medidas: a intervenção imediata onde está acontecendo o problema das adolescentes grávidas e, do outro lado, uma ação educativa e preventiva dentro das escolas. Então, essas ações integradas vão otimizar resultados, melhorar indicadores e a assistência oferecida pelo município”, conclui a pedagoga.

Fonte: Ascom