Cidadeverde.com

Recém-inaugurado, CER de Oeiras atende mais de 400 pacientes de todo o Território Vale do Canindé

Inaugurado em março deste ano, o Centro Especializado em Reabilitação Física e Intelectual - Alina Nunes (CER II) é referência para a rede de atenção à saúde da pessoa com deficiência em Oeiras e em todo o Território Vale do Canindé. O ponto de atenção ambulatorial especializado em reabilitação funciona nas dependências da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e conta com a parceria da Prefeitura de Oeiras.

Nesta quarta-feira, 03, o prefeito José Raimundo e a secretária municipal de Saúde, Auridene Freitas, visitaram o centro, que passa por reformas na estrutura.  “O CER foi implantado no nosso município no início do ano, com isso ampliamos a oferta do serviço dentro deste setor e estamos com a proposta de cada vez mais buscarmos melhorias para esta estrutura como um todo. Melhorias no quesito estrutura nos permitem implantar novos serviços e ampliar nossa oferta. A Prefeitura de Oeiras, através da Secretaria Municipal de Saúde, está buscando formas de direcionar mais apoio financeiro, no sentido de melhorar a estrutura deste espaço”, pontua Auridene Freitas.

O CER conta com diversos tipos de atendimentos especializados, desenvolvidos por uma equipe multidisciplinar, composta por ortopedistas, psiquiatra, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, enfermeiros e fonoaudiólogos.

A diretora da Apae, Leda Alves, explica que o centro tem credenciamento do Ministério da Saúde e, atualmente, atende mais de 400 pacientes. “Temos uma meta de atendimento de 200 intelectuais e 200 físicos. Hoje, depois de sete meses de atendimento já contamos com 196 pacientes em reabilitação física e 241 em reabilitação intelectual. Nestes pacientes, atingimos a meta de 6.456 procedimentos. Temos hoje 692 prontuários dos municípios do Território Vale do Canindé, sendo a maior demanda do município de Oeiras e em segundo lugar o município de Santo Inácio do Piauí. Nosso serviço nesse curto espaço de tempo tem sido ampliado e a demanda atendida”, detalha Leda Alves, diretora da Apae.

O espaço funciona integrado à Apae, que mantém uma escola com oito profissionais, atendendo 52 crianças. A diretora informa que as crianças da escola também são atendidas no CER. “Elas vêm para a escola e têm os horários para serem atendidas no Centro de Reabilitação. Para que a mãe não tenha que se descolar em outro horário. Fazemos esse acolhimento, mas não trabalhamos apenas com crianças e adolescentes, trabalhamos com todas as demandas. Temos trabalhado muito com idosos, sequelados de AVC, jovens vítimas de acidentes, com comprometimento físico e intelectual”, acrescenta Leda Alves. 

Fonte: Ascom