Cidadeverde.com

Projeto debate autismo, inclusão e a importância familiar em Oeiras

Pais, educadores e profissionais da área de Saúde e Educação de Oeiras estiveram presentes neste sábado, 04, no auditório da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) para debater e compartilhar experiências no Projeto Autismo e a Importância Familiar, desenvolvido pelo Centro Especializado em Reabilitação Física e Intelectual – Alina Nunes (CER II) e a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae).

Na oportunidade, a secretária municipal de Saúde, Auridene Freitas, falou da relevância da discussão do tema e ressaltou a importância da atualização sobre o autismo para qualificar a atenção ofertada à pessoa com deficiência no município e combater o preconceito.

Tiana Tapety, secretária municipal de Educação, destacou os desafios e a necessidade de inclusão dos alunos autistas na escola, cujo processo de ensino-aprendizagem requer o conhecimento de suas peculiaridades. “O que nos importa é a inclusão e o convencimento das famílias é um grande desafio”, diz a secretária, informando que a rede municipal de ensino possui, atualmente, 10 salas multifuncionais de Atendimento Educacional Especializado (AEE) para desenvolver as competências e habilidades dos alunos com autismo e outras deficiências.

O autismo é um distúrbio neurológico que afeta a capacidade de relacionamento, dificuldade no domínio da linguagem e padrão de comportamento restritivo e repetitivo. Para aprofundar a discussão sobre o tema, foram convidados três especialistas – Sílvio Alves, fisioterapeuta e diretor do CER II de Oeiras, que falou sobre como reconhecer e intervir no Transtorno do Espectro Autista (TEA); Jayra Sousa, enfermeira e coordenadora da Associação de Pais de Autista de Floriano (APAF), que proferiu palestra sobre Família Terapêutica e o médico neuropediatra, Ítalo Martins, que tratou sobre a dificuldade escolar e o que afeta o aprendizado da criança.