Cidadeverde.com

Governador adverte: "Nosso inimigo nº 1 nesse instante é o Aedes aegypti"

O governador Wellington Dias (PT) voltou nesta sexta-feira (4) a pedir a população para ajudar a erradicar o mosquito Aedes Aegypti. Para ele, é o “inimigo nº 1” neste momento de epidemia de microcefalia.

Transmitido pelo mesmo vetor da Dengue e Chikungunya, o mosquito Aedes aegypti, transmite o zika vírus, que estaria relacionado com a malformação de bebês.

Wellington Dias garantiu que o trabalho no Estado contra o mosquito está sendo feito em conjunto com o Ministério da Saúde.

“A prevenção é matar o mosquito. O nosso inimigo número um nesse instante é o mosquito Aedes Aegypti. Então, temos que trabalhar nos 224 municípios de forma bem forte”, disse Dias.

Os principais sintomas da Zika são febre intermitente, erupções na pele, coceira e dor muscular. Apesar das semelhanças, o zika vírus é muito menos agressivo que o vírus da dengue: não há registro de mortes relacionadas à doença. A evolução é benigna e os sintomas geralmente desaparecem espontaneamente em um período de 3 até 7 dias.

Foto: Jorge Henrique Bastos

“Estamos trabalhando em primeiro lugar uma rede para cuidar das pessoas que foram picadas pelo Aedes aegypti e tiveram Zika e ampliar a rede para atender as gestantes e ao bebê para que haja um acompanhamento para uma assistência necessária”, ressaltou o governador. 

Microcefalia 

A microcefalia não é um agravo novo. Trata-se de uma malformação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Neste caso, os bebês  nascem com perímetro cefálico (PC) menor que o normal, que habitualmente é superior a  33 cm. Essa malformação congênita pode ser efeito de uma série de fatores de diferentes origens, como substâncias químicas e agentes biológicos (infecciosos), como bactérias, vírus e radiação.

Cerca de 90% das microcefalias estão associadas com retardo mental, exceto nas de origem familiar, que podem ter o desenvolvimento cognitivo normal. O tipo e o nível de gravidade da sequela vão variar caso a caso. Tratamentos realizados desde os primeiros anos melhoram o desenvolvimento e a qualidade de vida.

- Como é feito o diagnóstico?
Após o nascimento do recém-nascido, o primeiro exame físico é rotina nos berçários e deve ser feito em até 24 horas do nascimento. Este período é um dos principais momentos para se realizar busca ativa de possíveis anomalias congênitas. Por isso, é importante que os profissionais de saúde fiquem sensíveis para notificar os casos de microcefalia no registro da doença no Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (Sinasc).

Flash Yala Sena (Com informações do MS)
yalasena@cidadeverde.com