Cidadeverde.com

Réu é condenado a 22 anos de prisão por feminicídio em Piripiri

Foto: TJ

O Júri Popular de Piripiri condenou, nesta quinta-feira (28), o réu Fernando José Sousa Silva a 22 anos de prisão por matar a companheira, identificada como Irismar Castro. O crime aconteceu em junho de 2018. A vítima foi morta a facadas. O  julgamento foi presidido pelo juiz titular da 1.ª Vara daquela comarca, Antonio Oliveira.

Em sua sentença, ainda com base no entendimento dos integrantes do Júri, o magistrado reconheceu as qualificadoras previstas no artigo 121, §2.º, incisos II, III, IV e VI — ou seja, qualificando o ato como feminicídio, por motivo fútil, com emprego de crueldade, impossibilitando a defesa da vítima.

Segundo o magistrado, a conduta do réu é "merecedora de maior censura”, “tendo em vista a premeditação e frieza com que praticou o delito”. O juiz também levou em consideração as consequências do crime para os envolvidos, já que o assassinato deixou três filhas órfãs da mãe.

Inicialmente, o juiz Antonio Oliveira fixou a pena-base em 16 anos e seis meses de prisão, aumentando o tempo de reclusão em 1/6 sobre cada qualificadora do crime, totalizando 22 anos de prisão. Além disso, o magistrado também julgou Fernando José pelo descumprimento da medida protetiva que lhe restringia a aproximação de Irismar Castro, condenando-o a três meses adicionais.

Fernando José Sousa Silva deverá iniciar o cumprimento da sentença em regime fechado. Apesar de estar em detenção desde junho do ano passado, o juiz Antonio Oliveira não considerará esse período de cárcere como parte do cumprimento da pena.

O júri aconteceu como parte das atividades da 15ª Semana Justiça pela Paz em Casa, que acontece até hoje.

Hérlon Moraes (Com informações do TJ)
[email protected]