Cidadeverde.com

Presos serram ferrolhos, fogem de cadeia de Piripiri e delegado desabafa

Três presos fugiram na madrugada desta segunda-feira (26) da antiga Cadeia Pública de Piripiri, a 160 quilômetros de Teresina. De acordo com informações da Polícia Civil, o trio serrou os ferrolhos das celas e pulou o muro que dá acesso à parte externa do prédio. Após o episódio, o delegado da cidade, Jorge Terceiro, desabafou e pediu providências ao Governo do Estado.

A fuga de Ricardo Pereira de Sousa, o "Pantoja" (furto), José Ailton dos Santos Braz, o "Hilton" (tentativa de furto), e Charles Barreto de Sousa, o "Paulista" (assalto), aconteceu por volta das 2h30 desta segunda-feira. "Os agentes só tomaram conhecimento por volta das 7h30, quando foram levar o café da manhã para os presos. A essa hora, eles já deviam estar distantes", lamentou o delegado Jorge Terceiro, que lembrou que o prédio no qual o trio estava recolhido não fica dentro do Complexo de Delegacias de Piripiri.

"Na realidade, as celas onde ficam os presos não fazem parte da Delegacia de Piripiri, mas no antigo prédio da Cadeia Pública, localizada na esquina contrária à delegacia. Na delegacia mesmo não há celas. Aliás, no complexo todo não há celas", argumentou o delegado.

Segundo Jorge Terceiro, a busca pelo trio de fugitivos segue em curso. "Dois deles são da região, mais precisamente de Pedro II. Ou seja: mais cedo ou mais tarde, vamos localizá-los. As equipes da Polícia Civil de Piripiri estão em campo. A Polícia Civil em Pedro II também foi informada. E a Polícia Militar também já está sabendo".

Mesmo que os três sejam recapturados, o delegado não mostra muito otimismo para mantê-los recolhidos. "As celas nas quais os presos ficam já foram interditadas pela Justiça. As grades são cheias de solda. É até fácil de quebrar. As paredes são de tijolo de barro cru. Nesse prédio da antiga cadeia pública não há nem instalação. Não dá nem para colocar um policial lá, o que eu já não posso fazer porque o policial civil não pode trabalhar como agente penitenciário. Já informamos ao Governo do Estado. Até a OAB já pediu providências".

Cansado, Jorge Terceiro completou o desabafo. "Piripiri é a terceira maior cidade do interior, mas não há cadeia pública. Cusdodiar presos não é incumbência da Polícia Civil ou da Polícia Militar. Estão todos informados sobre a situação de Piripiri. Nós estamos aguardando uma solução dos gestores. Não há mais condições de sustentar. Não há condições e não há pessoas qualificadas. Espero que os gestores providenciem resolução. A Polícia Civil sofre um desgaste que não merece", finalizou o delegado, que está na cidade há pouco mais de um ano.

Flávio Meireles
flaviomeireles@cidadeverde.com