Cidadeverde.com

Riquezas do litoral do Piauí

Esta semana que passou foi marcada pelo aparecimento de um exemplar de peixe-boi encalhado sob a ponte que separa os municípios de Parnaíba e Luís Correia, no litoral do Piauí. De acordo com biólogos que fizeram o resgate do corpo, o indivíduo já era conhecido e havia sido devolvido para a natureza após passar um período em adaptação, após ter sido resgatado com vida também encalhado, na condição de filhote.

Há poucas semanas falamos aqui de um peixe-lua encontrado na praia do Coqueiro em Luís Correia, também morto após encalhar numa praia. Embora o peixe-lua seja um animal de regiões mais profundas, por algum motivo veio até a parte mais rasa e terminou se atrapalhando na hora de voltar para seu habitat.

Estes são dois exemplos de animais que vivem nas águas litorâneas do Piauí. O peixe-boi é francamente encontrado no litoral do município de Cajueiro da Praia, onde crescem prados marinhos, verdadeiros pastos de plantas aquáticas – sim, plantas de verdade e não algas, que servem de alimento para espécies marinhas de peixe-boi, que apesar do nome é um mamífero muito simpático. O litoral do Piauí também recebe a visita de tartarugas marinhas, sendo que algumas até utilizam praias piauienses para sua desova que é acompanhada por um abnegado grupo de biólogos que atua na sua proteção.

A riqueza do litoral do Piauí vai muito além destes exemplos de aparições de animais diferentes. Levantamentos realizados pelo biólogo Anderson Guzzi e um séquito de estudantes de Ciências Biológicas, ligados à Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar) têm estudado a composição de aves do Delta do Parnaíba e o comportamento incomum dos guarás, aves que de cor avermelhada que realizam um verdadeiro show ao entardecer, todos os dias, em ilhas situadas no meio do Delta do Parnaíba, quando chegam para se acomodar e passar a noite. Um espetáculo que é acompanhado por turistas e pesquisadores.

Vejam a revoada dos Guarás que gravei em Dezembro de 2018:

É provável que a riqueza natural observada no litoral do Piauí seja fruto da baixa exploração turística, quando comparado a outros destinos litorâneos do Nordeste do Brasil. É importante lembrar que o Piauí é o único estado nordestino que possui a Capital no interior. Isto de certa forma transformou o espaço do nosso pequeno litoral em um paraíso ainda visitado por espécies que já não aparecem em ambientes dotados de portos ou grandes capitais com muitas construções à beira do mar, como nas demais capitais do Nordeste.

Além das riquezas já citadas, o Piauí guarda uma vegetação de Restinga e de manguezais bem preservada, o que ajuda a manter a riqueza de animais terrestres que e de espécies que utilizam os mangues como suporte de sobrevivência. Em Cajueiro da Praia temos o maior cajueiro do mundo, que já citamos também em posts aqui no Ciência Viva.

O grande problema é que os cenários paradisíacos estão em fase de descoberta por empreendedores e também por predadores. É preciso que as autoridades sejam muito cuidadosas com este cenário de ameaça.

Até o próximo post.