Cidadeverde.com
Geral

Exposição reúne fotos de artistas da Tropicália

Imprimir

É sucesso a exposição Nunca Fui Santa, com mais de 60 fotos que acompanha a vida do produtor carioca Guilherme Araújo, morto em 2007, e que foi empresário de Gilberto Gil, Maria Bethânia, Caetano Veloso e Gal Costa. Queridíssimo da classe artística desde a época da Tropicália, a mostra, com os registros da fotógrafa Thereza Eugênia, acontece até janeiro no Gabinete de Leitura Guilherme Araújo, na casa onde o empresário e produtor morou nos seus últimos 30 anos, em Ipanema, e que nos idos tempos foi um dos endereços mais animados da cidade.

Caetano reproduz foto que faz parte da mostra (Foto: Cristina Granato).

Thereza acompanhou o produtor em todas as suas realizações desde a volta de Caetano e Gil do exílio em 72 até o fim de sua vida, em 2007: “Ele era um apaixonado por fotografia, fazia questão que tudo sempre ficasse registrado. Então eu fui o ‘selfie’ de Guilherme quando tudo ainda era feito manualmente, sem as facilidades das máquinas inteligentes de hoje”, diz ela.

Figura fundamental na co-criação da Tropicália e na consolidação do grupo baiano no cenário da MPB, Guilherme começou no teatro, foi pra Tupi, passou pela gravadora Elenco, virou empresário de Bethania, Gal, Caetano e Gil, entre outros, e nos anos 80 criou algumas das festas mais memoráveis da cidade - Gala Gay, Sugar Loaf Carnival Ball, Jeca Chic, entre tantas. Numa época em que o Sambódromo ainda não existia e os bailes eram a grande sensação do Carnaval, Guilherme reunia em suas festas celebridades e anônimos dos mais variados tipos e classes sociais.

O nome da mostra é uma expressão que Guilherme sempre repetia e que também seria o título de uma biografia que não foi terminada. A mostra também inclui um vídeo com mais de 100 fotos de Thereza. No dia da inauguração, em meados deste mês, o Gabinete, dirigido por Gilda Mattoso e Marcus Vinícius, recebeu Caetano, Gil, Boni, Rogéria. Guilherme doou a casa para a Secretaria de Cultura do Rio para que ela fosse transformada em um centro cultural.

Fonte: Época

Imprimir